O QUE TODO JOGADOR DEVERIA SABER 7/10.

Dando continuidade ao artigo anterior,detalhemos alguns aspectos dos arremessos com uma das mãos.Como vimos,o fator primordial para um bom arremesso é o controle direcional da bola,pois força,trajetória e boa coordenação das diversas alavancas envolvidas no processo(pernas,ombros,braços e mão)em nada contribuirão para o sucesso da tentativa se falhar o correto direcionamento à cesta.Também vimos quão importante é o giro inverso da bola ao ser lançada,giro este em torno de um eixo diametral da mesma,que se for mantido o mais paralelamente ao aro da cesta,e o mais equidistante dos bordos externos do mesmo propiciará um direcionamento muito perto da perfeição.Também vimos que,as alavancas mais diretamente responsáveis pelo controle do eixo diametral são aquelas que num movimento simultâneo de pronação longitudianal transfere à superficie da bola os também simultâneos movimentos de aceleração e distribuição das varias forças resultantes das demais alavancas do corpo,e que são as alavancas do pulso e a dos tres dedos centrais da mão impulsionadora.Como o toque final dado à bola vem destes tres dedos,poderemos agora entender o quanto são básicos e importantes na determinação do comportamento da bola durante seu vôo em direção à cesta.Os outros dois dedos,o polegar e o minimo,se comportam como um leme,responsável
pelo controle do eixo diametral que transpassa o centro da bola,e cuja projeção geométrica é controlada pelos mesmos.Nesse ponto,chamemos a colocação da mão impulsionadora de “pegada”,a qual varia de jogador para jogador,cuja maioria absoluta desconhece sua importância,e mesmo sua qualificação.Se o momento final de contato com a bola é exercido pelos dedos centrais da mão,qual deles exerce tal contato?Serão todos? dois? ou um só? No caso de um,nada garantirá que no exato momento do contato final a bola se desvie para uma das laterais do dedo,originando forte desequilibrio e
decorrente desvio de trajetória.Se forem dois,por exemplo,o indicador e o médio,por estar apoiada em dois pontos,a bola sofrerá bem menos desequilibrio final,e por conseguinte menor desvio lateral.Se forem os tres,somente possivel com uma retração do dedo médio,colocando-o na mesma linha dos outros dois dedos,determinando uma forte base tripla,pouco ou quase nehum desvio poderá ocorrer,pois a bola dificilmente penderia para qualquer dos lados.Mas,e os outros dois dedos?Que posição deveriam ocupar no conjunto das tres pegas descritas? Se espalmarmos a mão por sobre a superfície da bola,com o dedo indicador na vertical,teriamos a linha entre o polegar e o minimo paralela ao nivel do aro,que por projeção determinaria o eixo diametral com o mesmo paralelismo.Em contrapartida,poderiam ocorrer os desvios acima descritos,com a bola descaindo para um dos lados do dedo indicador.Agora,façamos uma sutil rotação,de tal maneira que os dedos indicador e central,paralelos entre si,se situem na vertical.Nesse caso,a tendência do polegar e do minimo é a de se situarem
numa perepectiva ligeiramente oblíqua ao nivel do aro,e que se for nivelalada fará com que a aplicação final de força na bola através os dois dedos se situe na lateral
da mesma e não na linha central,ocasionando erros de direcionamento.No caso de tres dedos,a obliquidade da linha entre o polegar e o minimo será ainda maior,anulando o controle do eixo diametral em seu paralelismo ao aro da cesta.Então,o que fazer?
Se dois são os fatores mais importantes para um equilibrado e seguro arremesso,a saber:Que o eixo diametral permaneça ao nivel do aro e equidistante do mesmo,dando à posição dos dedos polegar e mínimo a responsabilidade pelo determinismo dessa posição
e que,no minimo dois dedos sejam aqueles responsáveis pelo ultimo contato com a bola,
poderemos concluir com razoável certeza de que as pegas com dois e tres dedos sejam aquelas que melhor distribuem a força na superficie da bola,assim como reduzem substancialmente os desvios angulares resultantes dos lançamentos,e que a tecnica de espalmar por completo a mão impulsionadora na superficie da bola deva conter algumas adaptações anatômicas,principalmente dos dedos polegar e minimo para se situarem ao nivel do aro, aproximando-os dos demais dedos até o ponto que definam todos os paralelismos possiveis,e também a retração do dedo médio quando a opção for pela pega dos tres dedos.Claro que muito treino,não só posicional,mas de correção constante,até o ponto em que o jogador seja capaz de manobrar os dedos estando seu corpo em qualquer posição espacial,equilibrado ou não,deverá ocorrer,seguido do maior número de repetições possiveis,a fim de dominar com razoável presteza a arte de bem direcionar seus arremessos.Até que esse dia chegue,nenhum jogador poderá ter o desplante de se considerar um especialista,como ocorre entre muitos em nosso país.
Aponte-se um outro fator a ser seriamente considerado,o de que os desvios possiveis aumentam geometricamente,quanto maior for a distancia dos arremessos,e que os mesmos sofrerão um menor impacto,quanto maior for o controle mental exercido pelo jogador
sobre os movimentos de carater fisico-mecânicos daqueles movimentos.Atitudes outras
podem e devem ser classificadas como irresponsáveis e aventureiras.Nosso basquete já
se torna merecedor de mais estudo,dedicação e trabalho.É isso aí.



4 comentários

  1. Cláudio 07.06.2006

    Bom dia Paulo,

    COnheci seu blog hoje pelo link no blog do Melchiades, e fiquei realmente surpreso pelos comentários altamente técnicos, pela linguagem utilizada e pelo aparente alto conhecimento da matéria em questão.
    Há muito tempo procurava algum site que conseguisse discutir o basquetebol brasileiro neste nível, de comentar pontos fortes e fracos, de questionar mudanças, de ensinar como se joga. Hoje toda a midia Brasileria de basquete busca somente falar da NBA. Fico chateado quando vejo em sites como a UOL ou TERRA, ou mesmo o REBOTE, que o foco é somente NBA. Tenho comigo a opinião de que duas fascinações brasileira fazem hoje o basquete ter uma qualidade muito baixa.
    1) A primeira foi a idolatria do Oscar. Nunca gostei do jogo dele, e hoje vejo que não gosto da pessoa, pois na vontade de mudar, acho que ele trocou os pés pela mão, travou uma guerra desnecessária e com isso puniu quem gosta do basquete. Hoje os dois campeonatos brasileiros são motivos de piada. Um, na final tinha menos gente que na pelada que jogo toda terça, o outro, não acabará, infelizmente, pois meu time estava na final, havia perdido a primeira, mas tem um grande elenco (com data de validade vencendo), e poderia virar. Mas isso é o resultado de muitos problemas, e voltando ao porque acho que a idolatria do Oscar estragou o basquete, é porque em todo lugar, até mesmo na mídia, a cada dia tentam encontrar um novo OScar, um novo cara que para na linha dos 3 somente para arremessar. Mas ninguem olha que ele não marcava bem, que ele não ajudava a equipe em outras jogadas. Ele jogava para ele e somente. Me recordo de duas cenas. Uma no corinthians, se não me engano, e outra quando ele estava no flamengo, em final de carreira. A primeira, o time tinha uma jogada que ficavam 3 jogadores fazendo uma barreira (igual a de falta no futebol) para que ele pudesse arremessar. Acho que nunca vi nada tão feio em minha vida. A segunda, durante o pedido de tempo, em que o time estava perdendo, ele senta, e antes do técnico falar qualquer coisa, ele diz para todo mundo “Se não forem me passar a bola para arremessar vou sair. Estuo aqui para arremessar, se não forem me passar eu saio.”.. Achei isso vergonhoso. Ele se descreveu da pior forma possível. Acho que essa procura por um novo oscar que faz hoje os times ficarem tentando arremessos absurdos de 3 pontos, sem trabalhar a bola, repetidamente, como se estes arremessos fossem salvar a partida.
    2) O segundo ponto que acho que estragou nosso basquete é a constante vontade de sermos uma NBA. Vejo o jogo da NBA como uma partida muito forte, rápida, mas sem padrão. É um espetáculo. Lindos arremessos, enterradas, mas os times não jogam entre si. Ninguem joga com inteligencia. Acho que por isso que os EUA estão perdendo suas forças. Acho que por isso que a Argentina tem um time tão forte. Quisera eu que os Brasileiros ficassem mais na Europa, ou fossem para a argentina, ao invés da NBA. Acho que poderia melhorar.

    Em relação a seus posts, concordo que o vergonhoso hexagonal foi fraco. Premiou duas equipes que jogaram acima da média. Não sei se foi feita justiça, mas foram duas boas equipes. Não assisti nenhum jogo, pois moro em São Paulo e dependo da boa vontade da SPORTV e ESPN para assistir algo, mas achei muito estranha a situação do Rio de Janeiro ter tido dois ou tres jogadores expulsos antes da partida contra Franca. No entanto, não assisti e não posso dizer nada. Particularmente não gosto de Ribeirão. Não pela qualidade de seus jogadores ou técnicos, mas pela postura arrogante do time, que acha que tem uma grande historia no basquete. Ribeirão nasceu de Franca, da falta de patrocinio de um time de franca, que o Bota e a antiga diretoria do Clube Yara de Franca, entregou inicialmente ao projeto do Polti e posteriormente virou COC. Mas o fim do COC parece estar próximo. Ja houveram duas ameaças de desintegração do time. O patrocinador sai, e acaba o time. Isso é outro grande mal do Brasil. Não existem clubes por trás. Hoje temos o paulistano, o Franca, acho que só. O resto depende da prefeitura e de patrocinador. Acabou isso, acabou a estrutura.

    Concordo com você no ponto em que diz que o “conhecimento” da torçida de Franca é questionável. Acho que Franca tem uma torçida apaixonada, por um time que vença. Quando o time está mal ninguem vai no Pedrocão, investe 3 reais no time para ve-lo jogar. Existem “pacotes” de sócio-torcedor, mas pouca gente compra. As empresas da cidade, fundadas e presididas por francanos não ajudam o time. Não estou falando de retorno publicitário, estou dizendo em ajudar uma grande parte da historia da cidade. Por paixão mesmo. Mas isso não existe. Posso hoje ir no jogo e sei quem realmente gosta de basquete. Você ve inumeras garotas e garotas na qual o jogo é um encontro, uma balada, um possibilidade de paquera. Você ve algumas pessoas que estão nitidamente perdidos. Não sabem quem é quem. Conhecem o Rogério, o demétrius e os Helio Rubens, mas claro, tem aqueles casados com o time, na derrota ou na vitória. Pouquissimos, mas existem. Confesso que não sou assiduo, nem quando estava morando em franca, a 2 anos atrás, mas tento acompanhar alguma coisa.

    Outro dia me deparei com a situação mais chata que um torçedor de basquete pode passar. Tentei comprar uma camiseta do time de Franca. Fui a Centauro, que acho a melhor loja de esportes que tem, e procurei, existem uns 20 modelos de camisetas da NBA, AND1, etc. Não tem NENHUMA da seleção Brasileira, algumas do Uberlândia, outras do corinthians, acho que uma do flamengo, todas de modelos antigos. Somente isso. E olha que ja fui na loja várias vezes. Algum tempo atrás, em franca, entrei em uma loja e perguntei. O cara disse que não tinha. Perguntei se ele não achava uma vergonha, a loja do shopping da cidade não ter uma camiseta do esporte simbolo. Ele disse que sim. Outro dia passei na frente da loja e tinham camisetas. Será que teriam se o time estivesse perdendo?

    Em relação a confederação e seu problema politico, penso se não seria uma boa a federação carioca assumir. Acredito que ela deve ser aliada ao Oscar, e poderia ser uma excelente unificação para termos um campeonato decente. O Oscar uma vez disse que se a confederação aceitasse conversar, que ele tinha um grande patrocinador interessado no projeto, que seria um sucesso. Será que tinha mesmo? Esse patrocinador não quis apoiar a liga que ele criou? Porque? Não acreditou? Se a liga era a solução, era melhor, etc e tal, porque o Oscar quis colocar o time dele e outros no Brasileiro? E o feminino? É triste ver um campeonato com 8 times somente. Em um basquete com capacidade de ser campeão mundial. Será que a Paula e a Hortencia realmente estão satisfeitas com este primeiro ano? Quais os planos para o futuro? Haverá continuidade?

    Bom, realmente foi um enorme prazer poder te mandar esta mensagem, minhas opiniões. Só fico chateado que pelo jeito, pouca gente valoriza este seu trabalho, de escrever, analisar, ensinar. Vi que desde o dia 29 de abril, você teve dois comentários. Um era SPAM e o outro uma breve pergunta. Ainda não li tudo do site, pois acabei de conhece-lo, mas tratarei de divulga-lo para amigos de SP e BH.

    Um grande abraço

    Cláudio Schmidt
    msn e e-mail: clauschmidt_2003@yahoo.com.br

  2. Basquete Brasil 08.06.2006

    Caro Claudio,fico feliz com seus comentários,provando que aos poucos vou conseguindo chegar ao conhecimento dos basqueteiros do nosso país.Somente torço para que,após uma boa leitura no blog,possa você mudar sua opinião sobre mim,
    de “aparente alto conhecimento da matéria em questão”,para,pelo menos,”razoável conhecimento…”.Seria mais um dos incentivos de que necessito para continuar aqui nessa trincheira,que desde já ponho à sua disposição,assim como para todos aqueles que desejarem colaborar.Um abração agradecido do Paulo Murilo.

  3. Cláudio 08.06.2006

    Olá Paulo,

    Acho que minha frase ficou tão floreada que perdeu o sentido. Ontem consegui retroceder nas postagens até março, quando ainda não tinhamos uma definição de como ficaria o campeonato Brasileiro e a NCAA ainda estava em suas fase semifinal.
    Mas pode esquecer a palavra “aparente” daquela frase. Está mais para escancarada do que para aparente.

    Abraços

    Cláudio Schmidt

  4. Basquete Brasil 23.06.2006

    Todo e qualquer comentário apócrifo será deletado,pois cerceia o democrático direito da resposta.Paulo Murilo

Deixe seu comentário

Comentários Recentes


    Warning: mysql_query(): Access denied for user ''@'localhost' (using password: NO) in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 7

    Warning: mysql_query(): A link to the server could not be established in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 7

    Warning: mysql_fetch_row() expects parameter 1 to be resource, boolean given in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 8