70 ANOS (7)…

Este ano completo 70 anos, cinquenta e quatro deles envolvidos e enfeitiçados pelo grande jogo, pelo formidável basquetebol.

Estudei muito, e ainda estudo, lecionei, preparei, treinei e dirigi muitos jovens, em escolas, clubes e seleções, onde garimpei muito mais que títulos, grandes e eternos amigos, os quais guardo no fundo do meu coração.

Sinto saudades de todos, e na impossibilidade geográfica, material e econômica de reuni-los para agradecer o quanto aprendi com todos , publicarei a cada semana uma foto das muitas equipes de que fiz parte ao ladodeles e delas também, irmanados que fomos pela pureza e a beleza de um jogo sem igual, pedindo que, se possível, mandem uma noticia, por mais breve que for, de como estão, o que fazem, e de como o basquete os ajudou em suas vidas.

Ficarei imensamente feliz em reencontrá-los, mesmo virtualmente, pois o respeito, a amizade e os sentimentos fraternais não sentem as distâncias e independem das presenças.

Um abraço agradecido a todos, Paulo Murilo.

Fotos- Equipe Aspirante do Olaria AC campeã carioca-1972 (Assistente técnico de Heleno F.Lima)

Equipe Infantil do Olaria AC vice campeã carioca-1972

Email- paulomurilo@infolink.com.br

Clique nas fotos para ampliar

ABSURDOS…

Um absurdo o não cumprimento de uma norma da FIBA que destina à equipe mandante o uso do uniforme branco, que tradição rubro negra nenhuma poderia exigir uma outra camisa acima de uma exigência legal, e o pior, com o consentimento de não sei quem, num prejuízo enorme à técnica de um jogo caracterizado por ações extremamente rápidas quando próximas à cesta. Qualquer técnico de pré mirim sabe que as trocas velozes de passes em zonas congestionadas exige visualizações rápidas e precisas, nas quais a pronta identificação de seus participantes está intimamente ligada à cor dos uniformes. Por essa falha imperdoável muitos erros de passes foram cometidos nesta final, assim como foram comprometidas as coberturas defensivas e mesmo as jogadas em duplas ofensivas.

Leia mais »

NOSSOS VELHOS…

Recebo uma chamada pelo Skype pela manhã do Walter no longínquo Bahrain, que me cobra um artigo sobre os velhos técnicos, aqueles que ainda teimam em permanecer ativos, que estudam, e até pesquisam, curiosos e sempre em busca do novo , do inusitado, do anti passivo, do controverso, na contra mão da subserviência e da colonização explicita que nos esmaga. Ele mesmo, que outro dia era por mim dirigido no Flamengo, e que agora transmite seus conhecimentos em plagas tão distantes, e que na flor de seus quase 50 anos já se considera sócio honorário do clube… dos velhos.

Leia mais »

70 ANOS (6)…


Este ano completo 70 anos, cinquenta e quatro deles envolvidos e enfeitiçados pelo grande jogo, pelo formidável basquetebol.

Estudei muito, e ainda estudo, lecionei, preparei, treinei e dirigi muitos jovens, em escolas, clubes e seleções, onde garimpei muito mais que títulos, grandes e eternos amigos, os quais guardo no fundo do meu coração.

Sinto saudades de todos, e na impossibilidade geográfica, material e econômica de reuni-los para agradecer o quanto aprendi com todos , publicarei a cada semana uma foto das muitas equipes de que fiz parte ao ladodeles e delas também, irmanados que fomos pela pureza e a beleza de um jogo sem igual, pedindo que, se possível, mandem uma noticia, por mais breve que for, de como estão, o que fazem, e de como o basquete os ajudou em suas vidas.

Ficarei imensamente feliz em reencontrá-los, mesmo virtualmente, pois o respeito, a amizade e os sentimentos fraternais não sentem as distâncias e independem das presenças.

Um abraço agradecido a todos, Paulo Murilo.

Fotos- Seleção Juvenil de Brasília – 1968 (5ª colocada   no Brasileiro de B.Horizonte)

– Equipe Infanto Juvenil do CPP – Brasília campeã dos Jogos da Primavera do Jornal dos Sports            RJ 1969

Email – paulomurilo@infolink.com.br

PS-Clique nas imagens

VAMOS AO QUINTO…

Quando no terceiro quarto a equipe de Brasília levou sua defesa para a linha da bola, permitindo defender o pivô do Flamengo pela frente, obrigando seu oponente aos arremessos de três e esporádicas penetrações, iniciou o caminho da vitória, principalmente quanto à vigilância sobre o Marcelo e seu eficiente corte para a esquerda, quando atinge a plenitude de sua precisão nos arremessos fora do perímetro. É como uma marca forjada pelo hábito de muitas e muitas tentativas, por anos a fio, que se quebrada altera em muito sua performance anotadora.

Leia mais »

CHECANDO O FUTURO…

Colaborando com a CBB e sua Supervisão Técnica das seleções de base masculinas, cujo trabalho nos últimos anos visando uma padronização técnico tática, divulgada exaustivamente através clinicas de atualização pelo país, e que tem levado nossos jovens jogadores a um patamar nunca alcançado, publico esse check list onde progressivamente poderá ir assinalando seus indiscutíveis resultados negativos, na busca insensata de seus objetivos.
Para facilitar já estão assinalados os paises que nos tem vencido regularmente. Claro, que com um pouco mais de esforço completarão a lista muito em breve.
Portanto, mãos a obra!

Amém.

PS-Com a terceira derrota em três jogos, Para Estados Unidos, Porto Rico e Venezuela na Copa America, nossa seleção sub-16 não se classificou para o turno final, ficando ausente do Mundial da categoria.

PÁGINAS DE JORNAL…

Tristes e dolorosas realidades, tendo a separá-las a módica quantia de 20 bilhões de reais.
Quando uma nação confunde autoestima com ignorância endêmica.
Que os Deuses nos protejam.
Amém

PS-Clique nas imagens.

70 ANOS (5)…

Este ano completo 70 anos, cinquenta e quatro deles envolvidos e enfeitiçados pelo grande jogo, pelo formidável basquetebol.

Estudei muito, e ainda estudo, lecionei, preparei, treinei e dirigi muitos jovens, em escolas, clubes e seleções, onde garimpei muito mais que títulos, grandes e eternos amigos, os quais guardo no fundo do meu coração.

Sinto saudades de todos, e na impossibilidade geográfica, material e econômica de reuni-los para agradecer o quanto aprendi com todos , publicarei a cada semana uma foto das muitas equipes de que fiz parte ao ladodeles e delas também, irmanados que fomos pela pureza e a beleza de um jogo sem igual, pedindo que, se possível, mandem uma noticia, por mais breve que for, de como estão, o que fazem, e de como o basquete os ajudou em suas vidas.

Ficarei imensamente feliz em reencontrá-los, mesmo virtualmente, pois o respeito, a amizade e os sentimentos fraternais não sentem as distâncias e independem das presenças.Um abraço agradecido a todos. Paulo Murilo

Foto- Seleção Carioca Feminina, tri campeã brasileira em Recife – 1966

Email- paulomurilo@infolink.com.br

PS- Clique na imagem

QUANDO OS BRAÇOS SE CRUZAM…

Tempos atrás ainda lecionando didática e prática de ensino para alunos da EEFD na Praia Vermelha, via com curiosidade ex jogadores profissionais de futebol, que se licenciavam em Ed.Física, sempre de braços cruzados sobre o peito quando falavam aos seus alunos, e nas discussões de pós aulas com seus colegas estagiários como eles. Observando melhor, constatava que em todas as reuniões que antecediam e encerravam treinos em equipes de futebol, a maioria quase absoluta de todos os participantes mantinham seus braços cruzados, o que denotava um enorme sentido de auto censura nos participantes das reuniões, fossem eles jogadores, técnicos e até dirigentes, como se o ambiente e o momento em que se encontravam parecesse mais um campo minado do que um espaço esportivo.

Leia mais »

NA ARENA…

(…)Em termos de tática e filosofia de jogo, qual o maior desafio dos técnicos brasileiros para a próxima edição do NBB?
– São várias coisas. É preciso melhorar em alguns pontos, mas sem perder outros, como o jogo de velocidade. Agora, velocidade sem controle é um risco muito grande. Lidar com isso vai ser o desafio de todos os técnicos. E não podemos abandonar nunca os fundamentos do jogo. Eles são mais vitais que a própria tática (…).

Essa foi uma das respostas do técnico de Brasília na entrevista que concedeu ao Rodrigo Alves do Rebote em 12/06/09.

E é exatamente neste ponto que o basquete brasileiro vem perdendo sua identidade nos últimos vinte anos. Na preparação de nossos jovens e mesmo nas divisões adultas, onde a tática sempre antecede, e na maioria das vezes obscurece a pratica dos fundamentos do jogo. E o resultado está ai, escancarado a todos, numa curva descendente apavorante, em continuidade a um projeto de clinicas nacionais onde a padronização técnico tática é priorizada, e não o ensino sistemático dos fundamentos.

E o que vimos, por mais uma vez na Arena, onde Brasília e Flamengo disputaram a segunda partida do torneio final, senão a confirmação dessa curva descendente, projetada em falhas lamentáveis de fundamentos, de arremessos, de dribles e fintas, de posicionamento defensivo, de ausência quase total de movimentações ofensivas concatenadas e coerentes, e o pior, em reações ofensivas de jogadores a um dos técnicos quando substituídos, e mesmo a realidade dicotômica do que era pedido nos tempos pelos técnicos, daquilo que era colocado em pratica pelos jogadores, como num diálogo de surdos e muitas vezes cegos.

E nesse panorama repetitivo venceu a equipe que errou um pouco menos, e que mesmo no meio de um maremoto de arremessos de três conseguiu encontrar tempo e alguma oportunidade de arremessar de distâncias menores, e por isso mesmo, mais seguras.

O confronto está empatado, e o jogo desse domingo deverá ser aquele de maior importância, pois definirá uma liderança difícil de ser alcançada no caso de vitoria da equipe candanga, já que remete para o planalto central o jogo decisivo da serie, revertendo a vantagem inicial do Flamengo.

O de se lamentar a desorganização reinante, desde a venda de ingressos caótica no local da competição, até a invasão do setor 2 pela torcida da casa, totalmente entregue a cultura do futebol, com seus xingamentos, ao pisoteamento proposital das cadeiras onde deveriam estar sentados, assim como a névoa de poeira em suspensão por toda a Arena, numa flagrante ausência de manutenção e limpeza do local. A turma da rinite deve ter passado muito mal.

E que o lembrete do técnico de Brasília de que os fundamentos são mais vitais do que a tática, ele que faz parte da associação de técnicos da LNB, seja levado em alta conta, a começar por sua própria equipe, e pela divulgação e ampliação do mesmo aos demais técnicos espalhados pelo país, a fim de que possam participar, discutir e reorganizar o efetivo preparo fundamental em nossas divisões de base

Estarei torcendo para que logo mais na Arena tenhamos um jogo melhor tático tecnicamente, lamentando os grandes vazios que persistirão no grande recinto que poderiam estar preenchidos por escolares da região, tão abandonados pelas autoridades desportivas do estado.

Amém.

Comentários Recentes


    Warning: mysql_query(): Access denied for user ''@'localhost' (using password: NO) in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 7

    Warning: mysql_query(): A link to the server could not be established in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 7

    Warning: mysql_fetch_row() expects parameter 1 to be resource, boolean given in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 8