ANATOMIA DE UM ARREMESSO IV

Sempre que discussões sobre arremessos são estabelecidas, um pormenor técnico vem à baila, as pegas. Entendamos como pegas as formas e encaixes das mãos por sobre a superfície da bola no ato e exercício do arremesso, seja com uma ou duas mãos impulsionadoras. Com o auxílio de imagens procuraremos discernir os diversos tipos de pegas que tornam possíveis os arremessos, mais propriamente, os efetuados com uma das mãos. As fotos aqui mostradas foram as mesmas que compuseram um artigo publicado pela Revista Brasileira de Educação Física e Desportiva, Nº9 em 1970, sobre “Alguns aspectos dos fundamentos”, e algumas que compuseram a tese de doutoramento “Estudo sobre umefetivo controle da direção do lançamento com uma das mãos no basquetebol”,defendida em Lisboa na FMH/UTL em 1992.


Ao final do artigo,e para maior compreensão do que venha a ser um perfeito controle do eixo dametral da bola em sua trajetória à cesta, acesse o link à seguir, e entenda de uma vez por todas o porque do arremesso longo de três pontos ser especialidade de uns poucos jogadores, aqueles que se aproximam da precisão repetitiva e constante somente possivel, no caso da infalibilidade, a um bem programado robô.

http://onecityatatime.wordpress.com/2007/08/26/basketball-shooting-robot-at-the-carnegie-science-center-in-pittsburgh/

 

 

16 comentrios

  1. Jalber Rodrigues 05.12.2007

    Bom Professor, a primeira reação que tive ao ler o artigo foi uma enorme vontade de agradecer!!! Dentro do nosso limitadíssimo universo de bibliografias ( no interior a “coisa” e ainda mais difícil ), ainda não tinha visto um detalhamento tão grande no ato de arremessar, em todos os meus estudos o destaque era sempre na posição indicador 1. A oportunidade de visualizar novas opções aguça a vontade de estudar mais este tão importante fundamento. Por isso…. obrigado!!!!
    A pegada indicador um é a que eu procuro passar a meus alunos. Muitos deles melhoraram muito seus arremessos.
    O que devo fazer diante destas novas possibilidades?!!! adaptar o estilo de arremesso do aluno às novas formas?! colocar como evolução na pegada?!! o que fazer?
    Continuo gostando muito da I1, mas
    achei a M3 interessante, porque colocando na prática nunca tinha considerado esse pequeno detalhe da retração do médio, pensava sempre que o mesmo atrapalharia a guia.
    quanto a I1 considerava que o desvio podia ser compensado pelas “sobras” das bordas do aro com relação ao diâmetro da bola.
    Qual a sua experiência com relação a este fundamento?!! como o trabalhava com seus atletas?
    Mais uma vez obrigado, abraço
    jalber.

  2. Leandro 06.12.2007

    ótimo artigo professor!

    com essas fotos se torna bem mais facil entender este fundamento.

    Obrigado por disponibilizar esses conhecimentos para nós desta maneira.

    mas me lembro que o senhor havia comentado sobre uma forma de arremesso em que se usava 2 dedos para aplicar força a bola(I,M), que não está presente neste video. Pessoalmente, gostei mais da forma de arremesso com 2 dedos.

    Abraços!

  3. Basquete Brasil 06.12.2007

    Prezado Jalber,fico feliz por ter gostado do artigo,provando o quanto podemos realizar disponibilizando o que sabemos.O que fazer diante de tão novas possibilidades?Divulgá-las, ensiná-las e estudá-las,para que as mesmas passem a fazer parte do cotidiano de seus alunos e atletas,
    dando aos mesmos a possibilidade de adequarem suas habilidades sem que se sintam presos a uma só escolha.Opcões
    geram progresso e livre arbítrio.
    Foi exatamente sobre esse fundamento que desenvolvi minha tese de doutoramento,que muito em breve disponibilizarei no formato PDF aqui no blog.Como treinava meus atletas?Exatamente da forma que você passará a treinar os seus,
    agora que tem alargado o vasto horizonte,repleto de possibilidades
    sobre esse apaixonante fundamento.
    Um abração e força no trabalho,
    Paulo Murilo.

  4. Basquete Brasil 06.12.2007

    Prezado Leandro,se você voltar ao artigo,constatará que logo após a descrição das pegas I1 e I2,explico a IM,que é aquela que lança a bola com os dois dedos mencionada por você.
    Inclusive,era a pega utilizada pelo grande arremessador Oscar.Obrigado pelo incentivo,e espero que o teor do artigo o ajude a desenvolver mais e melhores técnicas de arremesso.Um
    abração, Paulo Murilo.

  5. Anonymous 09.12.2007

    Soy Gil:
    El TIRO DE MEDIA DISTANCIA.
    La tecnica del tiro debe ser enseñada correctamente desde los inicios del joven deportista.Esta destreza requiere de muchas horas de entreno y la guia de un entrenador que no permita la menor desviacion de la tecnica.
    Al considerar la metodologia debemos estar claros en el respeto a la integridad Bio-Psico-Social del deportista.
    En lo personal mucho me agrada el metodo del “Descubrimiento Orientado”, en donde hay una participacion e implicacion cognoscitiva del jugador, los entrenadores planteamos un problema que tiene solucion y las respuestas mas acertadas son las que mas se aproximen al modelo buscado; la interaccion es constante en dos vias, pues los entrenadores debemos aprender a saber escuchar,lo que a mi juicio es la mejor manera de encausar el derrotero de la conversacion hacia el logro de los objetivos planteados.
    Nuestro lenguaje corporal( acciones, gestos etc.) debe ser consecuente con nuestro lenguaje verbal.
    La clave: ser pacientes y dar informacion de como hacer las cosas,repeticion, repeticion y repeticion hasta que el gesto motor (metacognicion)se de ya en condiciones de competion.
    Como ilustracion utilizare el tiro de media distancia sin saltar (Set Shot), desmarcandose saliendo de una pantalla o pick colocada en el lado derecho de la cancha que atacamos,para recibir la pelota en su area de alto porcentaje de tiro.
    Consideraremos las siguientes areas:
    1-Posicion balanceada del cuerpo:
    1-1. Pase junto al compañero que coloca la pantalla, de tal manera que su hombro haga contacto con la cadera de quien esta colocando la pantalla , esto le permitira llegar al lugar de recepcion de la pelota ya con las cadera baja, listo para explotar verticalmente para tirar .
    1-2.Si usted es tirador derecho, siempre ese pie debe estar ligeramente adelante del izquiero y apuntando directamente hacia el aro ,y es el primero que usted planta, le seguira el izquiero para balancear completamente el cuerpo.(si utiliza la tecnica de dos pasos, tan pronto sale de la pantalla y se da cuenta que su marcador quedo atrapado en la pantalla, plante el talon de su pie derecho para pivotear hacia el aro)
    1-3.La pelota la recibe a la altura del hombro de la mano tiradora, enfrentando el aro (square- up), su hombro derecho despues de recibir la pelota estara ligeramente adelantado en relacion al izquierdo.Si tiene que hacer algun ajuste de las manos sobre la pelota, hagalo pero con la mano “soporte” y jamas con la mano tiradora.

    2-Mirar el aro, la parte media y frontal.
    3-El codo absolutamente bajo la pelota ( esta accion hace que la pelota quede balanceada sobre la mano tiradora,como consecuencia de esta accion el dedo pulgar y el meñique quedan en el mismo plano ),el codo ademas debera estar alineado sobre la rodilla de la pierna derecha y apuntando directamente hacia el aro.
    4- La mano esta completamente detras de la pelota, la muñeca completamente flexionada ( vera algunas arrugas detras de ella ), el dedo indice en el centro de la pelota.
    5- El brazo al estar flexionado listo para tirar, formara algo parecido a la letra “L”,perpendicular al piso .
    6- Las piernas impulsan el cuerpo en direccion vertical ( sus caderas a la hora de recibir la pelota deben estar en una linea perpendicular con los talones de sus pies ),la posicion de brazo,perpendicular al suelo provoca que la pelota sea elevada .
    7- La muñeca “snap”( accion de latigazo) y la pelota corre sobre los “pads” de su mano, sale hacia el aro por las puntas de los cinco dedos , luego los tres mas largos, siendo el dedo indice el ultimo que toca la pelota.
    8- Busquemos una trayectoria de la pelota en un arco medio 9 ni alto ni bajo )en su camino hacia el aro.
    9-Despues del lanzamiento el brazo tirador debe quedar completamente extendido, la muñeca flexionada y el dedo indice apuntando al aro.
    10-Caiga de nuevo al suelo, casi exactamente en el lugar desde donde inicio el lanzamiento.
    Una actividad para que los deportistas sientan la pelota balanceada , equilibrada sobre la palma de sus mano es tener la pelota sobre la palma de su mano, estando esta volteada hacia arriba , lanza la pelota y la cacha con la misma mano .
    No hare planteos con ninguna secuencia ,pero insistire que el ejm. planteado,( saliendo de una pantalla )constituye , desde mi punto de vista un ejercicio bien cercano a las reales condiciones de juego, en donde el “Metodo de Descubrimiento Orientado” se presta hacia un ameno dialogo cognoscitivo entre deportista y entrenador, desde luego bajo la tutela de este ultimo en donde la memoria perceptual y la trabajadora en interccion con la memoria a largo plazo conduciran hacia el aprendizaje de esta destreza dentro de un contexto que para el deportista “tiene sentido en el enfoque tactico-conceptual real del basquetbol”, el camino hacia la llamada Metacognicion.
    Meus respeitos a cada umo dos lectores de la pagina de mi gran y prezado amigo Paulo.
    Gil Guadron.

  6. Basquete Brasil 10.12.2007

    Prezado Leandro,voltando a analisar seu comentário,ocorreu-me que você menciona o video do robô.Se for correta essa observação,o braço mecanico do robô,com suas duas hastes paralelas no contato direto com a bola,simula exatamente a pega IM,com dois contatos(dedos)no controle do eixo diametral,e consequente soltura com dois pontos de aplicação de força,originando um perfeito giro inverso na bola.Os pontos de apoio geraram o algorítmo que potencializou o comportamento matemático do robô,que pela lógica acertará tantos lançamentos quantos forem tentados.Uma boa e oportuna lembrança a sua,obrigado,
    Paulo Murilo.

  7. Basquete Brasil 10.12.2007

    Caro Gil,bendita paciência a sua,de sempre suprir os debates com os genuinos principios didático-pedagógicos no ensino dos fundamentos do jogo.Venho aqui falar de pegas,e lá vem você discorrer sobre tudo que antecede às mesmas.Sem dúvidas fazemos uma boa dupla de provocadores de debates.O bom de tudo isso é que a turma tem correspondido com idéias e excelentes experiências,
    apesar das dificuldades e premências.Está valendo realmente a pena.Um abração amigo,Paulo Murilo.

  8. Basquete Brasil 03.01.2008

    Fica faltando o fechamento, a sintese. Quem se habilita? Vamos pessoal,tentem. Um a braço a todos,
    Paulo Murilo.

  9. Kauê D. 18.06.2009

    Professor, quanto mais leio seus artigos mais me encanto, heheh, mas hoje tenho uma duvida, ou mais um conselho pra pedir ao senhor. Eu, que jogo basquete a mais ou menos 4 anos, tive como instrução de arremesso o I1, e sempre treinei essa pega como sendo a mais correta, por instrução de meu professor. Eis a dúvida, o senhor acha que no meu caso, vale a pena investir no treinamento da M3, por ser mais precisa, ou, devo continuar treinando a I1 para aperfeiçoá-la?

    Muito obrigado, um abraço
    Kauê D.

  10. Basquete Brasil 19.06.2009

    Prezado Kauê,adote sempre as melhores técnicas que puder adquirir e assimilar.Sem dúvida nenhuma a pega M3 dará a você um maior e mais preciso controle sobre a bola. No entanto,sugiro que faça chegar ao seu treinador esse artigo, pedindo para que ele o analise com isenção e objetividade, a fim de que possa avaliar sua aplicabilidade em seu treinamento.Acredito que ele o orientará na nova pega de forma mais didática, do que se você tentasse adotá-la sozinho.Espero que você possa melhorar cada vez mais nos seus arremessos, assim como nos fundamentos em geral. Um abraço,
    Paulo Murilo.

  11. Alexandre 22.10.2011

    Parabéns pelo artigo! Gostaria de tirar uma dúvida…meu dedo indicador não fica no mesmo nível do anular, ou seja, o indicador é menor que o anular, dificultando que eu faça a pegada com a retração do dedo médio, pois eu teria que retrair o dedo anelar também para que todos os 3 dedos ficassem alinhados…qual a pega que o senhor recomendaria para mim? Obrigado.

  12. Basquete Brasil 22.10.2011

    Prezado Alexandre, a anatomia das mãos varia de pessoa para pessoa, caracterizando particularidades únicas. As pegas estudadas e apresentadas no artigo se fixam no aspecto da mecanica do arremesso, independendo do formato e das diferenças anatomicas das mãos.Por isso mesmo as pegas tendem a ser adaptadas a cada tipo de mão, extensão e formato dos dedos, e graus de flexibilidade dos mesmos.O principal fator deverá ser o do alinhamento dos dedos polegar e minimo ao nivel do aro, mantendo ao maximo o controle, por projeção, do eixo diametral paralelo e equidistante do mesmo. Por uma questão de conforto, onde ao ser mantido o controle do paralelismo do eixo em questão, os cinco dedos se espalham naturalmente sobre a bola, sem duvida alguma a pega IM é a que se destaca, sendo mesmo considerada padrão. Com o indicador e o médio sendo os últimos dedos a tocarem a bola, o perigo de vê-la desequilibrada atenua bastante, mas sem a grande precisão e concentração de força da pega focada nos três dedos centrais, com a sua modificação anatomica por sobre a bola, inclusive com a retração do dedo medio. Por isso mesmo, e pela caracteristica do não alinhamento de seu dedo anular com o indicador, é que sugiro a utilização da pega IM para o seu caso.
    Espero ter respondido a sua pergunta, torcendo que com o treinamento intensivo seus resultados sejam bem ampliados. Um abraço, Paulo Murilo.

  13. EDUARDO MEZZOMO 07.04.2013

    PROFESSOR DOUTOR Paulo Murilo, parabéns pelo incansável trabalho.
    A respeito da versão de sua tese em arquivo “.pdf”, ela já encontra-se disponível no site?

    As palavras “professor” e “doutor” seguem com letras maiúsculas porque tem sido usadas inadequadamente, principalmente no meio esportivo brasileiro e é raro encontrarmos um “professor” e um “doutor” nos reais sentidos dos termos.

  14. Basquete Brasil 08.04.2013

    Prezado Eduardo, obrigado por suas colocações, e espero continuar a ser merecedor das mesmas. Quanto a veiculação em PDF da minha tese, a terei no blog em breve. Mais uma vez obrigado. Paulo Murilo.

  15. washington santana da silva 28.02.2016

    Prezado mestre, apesar do hiato de tempo entre a data de publicação dos artigos e minha leitura, posso dizer que fui integrante de seus estudos e “peça” do seu eterno e diário laboratório. Fazendo parte dos laureados times do Olaria, inclusos em sua galeria, avivo sua memória quanto as noites de sono que perdeu em estudar a cinesiologia do meu arremesso. Após dias , e pelo incomensurável conhecimento, “descobriu o defeito”: eu não tinha uma falange do meu dedo mínimo da mão direita (sou destro). Recomendou-me o uso de uma paleta no dorso da mão, para equilibrar e fortalecer a empunhadura, em face da falange inexistente. Eureca!!! Arremesso perfeito (perfeição se busca mas não existe). Agradeço até hoje seus ensinamentos, que fizeram com que eu pudesse ajudar ao grande e inesquecível Alfinete, Kreston, Ronaldo, Eduardo e os demais grandes amigos, a conquistarmos o Campeonato Carioca de 1972. Um grande e saudoso abraço. Minha gratidão também ao amigo técnico Heleno.

  16. Basquete Brasil 01.03.2016

    Prezado Washington, sem dúvida alguma bem me lembro daquele estudo sobre seu arremesso, e a forma como conseguimos atenuar os desvios “operando”seu dedo minimo com uma haste firmemente fixada por esparadrapos, completando sua extensão, necessária ao correto controle do eixo diametral da bola, em sintonia linear com o polegar. E deu certo, lembro-me bem. Inclusive, tentamos antes usar um dedal de costura da minha mãe, mas a haste o deixava mais confortável. Veja bem Washington, a quantos anos esse ajuste de arremessos aconteceu, 44 anos atrás, incrível como o tempo corre, e essa turma que hoje comanda o grande jogo em nosso país, ainda não se deu conta de nada parecido nesse magico mundo do basquetebol. Acertei e consertei muitas empunhaduras desde então, inclusive publicando textos e fotos de minha tese de doutorado a respeito aqui no blog, numa serie chamada Anatomia do Arremesso I, II, III, IV, V, e a VI na semana passada sobre o Stephan Curry. Sabe qual foi a repercussão junto aos togados estrategistas patrícios? Nenhuma.Você pode acessá-los digitando os títulos no espaço Buscar conteúdo no alto da página, assim como qualquer assunto técnico, tático e mesmo político sobre o grande jogo.
    Em tempo, o Heleno reside ai em Brasilia, criando e competindo com sua filha no universo dos cavalos de milha, onde é referência nacional.
    Um abraço, Paulo Murilo.

Deixe seu comentrio