ARTIGO 500-FALEMOS UM POUCO DE TÁTICAS E SISTEMAS II

Muitos tem me perguntado, e até cobrado, de que forma pratica e objetiva pode uma equipe atuar com 2 armadores e 3 pivôs móveis, tanto contra defesa individual, como defesa por zona.

Desde muitos anos sempre treinei e preparei minhas equipes para atuarem desta forma, e na maioria dos casos me situava na contra-mão da maioria absoluta dos demais técnicos, utentes enraizados do sistema NBA, globalizado nos últimos 20 anos de influência e coerção maciça.

Em 1995, organizei com o Prof.Paulo Cezar Motta o Barra da Tijuca BC, que mesmo tendo suas atividades restritas a quadras descobertas e acanhados ginásios de escolas e clubes de condomínios da comunidade, exerceu, até o encerramento de suas atividades em 1998, grande influência técnico- tática no basquete do Rio de Janeiro,mas que não encontrou respaldo e continuidade nos demais técnicos do estado.

Iniciei então, através o blog, uma campanha solidamente embasada em técnicas do jogo, pela adoção da dupla armação nas equipes brasileiras, que sempre foi uma das nossas mais poderosas armas ofensivas e defensivas também, pois jamais poderia cativar quem quer que fosse para a dupla armação, sem que a mesma pudesse ser exercida pela maioria das equipes.

E aos poucos as mudanças foram acontecendo, não só pelos artigos aqui publicados à respeito, como principalmentepelos exemplos vindos das equipes européias e argentinas, que sempre se utilizaram da dupla armação na base de seu jogo, assim como o desaparecimento progressivo dos pivôs de força, substituídos pelos de velocidade e flexibilidade, agilizando seus sistemas e estratégias.

Neste meio termo de aceitação e compreensão pela dupla armação, uma adaptação foi largamente utilizada pelos técnicos brasileiros, totalmente voltados ao sistema único de jogo, ou seja, a substituição de um dos alas por um outro armador, dando mais equilíbrio às equipespela melhoria dos fundamentos básicos do drible, fintas, passes e arremessos, além do incremento substancial do sistema defensivo.

Passados estes últimos 3 anos, nos quais a adoção da dupla armação já se faz presente em grande parte de nossas equipes, podemos então promover um debate sobre sistemas de jogo voltados a esta evolução, sistemas estudados especificamente para esta nova realidade, não só da dupla armação, mas principalmente pela tripla função dos pivôs móveis.

É essa a idéia que passo a demonstrar neste e nos próximos 4 artigos técnicos, quando tentarei descrever e demonstrar o sistema de jogo que desenvolvi para a equipe do Barra da Tijuca, corolário de uma série de sistemas desenvolvidos nos últimos 40 anos de técnica desportiva. E com um instigante detalhe, o de ser indistintamente utilizado contra defesas individuais, e zonais, e cuja única adaptação é a de ritmo de execução, nada mais.

Espero que aproveitem bem, discutam, sugiram, critiquem, ou simplesmente se mantenham agrilhoados no sistema único, ou o famigerado “basquete internacional”, que nos empobreceu e mediocrizou nos últimos 20 anos.



15 comentários

  1. Gil Guadron 26.12.2008

    Felicitaciones, muy interesante.
    Gil

  2. Basquete Brasil 27.12.2008

    Caro Gil,que bom que você gostou. Esse é o primeiro de uma série de 4 que publicarei um por semana.Espero que os demais técnicos também os apreciem,mesmo que os critiquem e até os neguem.Precisamos de mais debates técnicos para fugir da mesmice implantada pelo sistema único de jogar.Um abraçãop,Paulo.

  3. Fábio Barcelos Sousa 29.12.2008

    Professor seu artigo é muito informativo e dinâmico. Compactuo também da sua filosofia de não utilizar jogadas marcadas e essas informações para jovens treinadores como eu são de vital importância. Professor gostaria que o Senhor me recomendasse alguma bibliografia sobre sistemas de jogo.

    No mais um grande Abraço.

  4. Basquete Brasil 29.12.2008

    Prezado Fabio,obrigado por suas observações.Creio que os próximos artigos esclareçam muitas dúvidas,principalmente quanto à dinâmica do sistema.Bibliografia sobre sistemas de jogo pode no máximo despertar grandes dúvidas,pois são específicas de cada técnico e de cada equipe.Por isso é sempre danoso espelhar-se nas mesmas sem as devidas adaptações conjunturais.O basquete americano e o europeu estão repletos de livros,monografias, teses e papers sobre sistemas de jogo,bastando pesquisar na internet à respeito.O ideal é ter conhecimento dos mesmos como forma de buscarmos nossos próprios sistemas,fator onde pecamos por omissão,e na maioria dos casos dando preferência à copiagem pura e simples.Tentarei estabelecer uma bibliografia básica, e publicarei no blog em breve.Até lá,tentemos analisar o sistema que proponho, mais como um exercício do que uma proposta pronta para uso.Um abraço,
    Paulo Murilo.

  5. Walter Carvalho 31.12.2008

    Prezado professor Paulo Murilo,

    Primeiramente aproveito para desejar um Feliz Natal e um Ano Novo de muita Saude e PAZ para voce e familiares. Nao sei se lhe informei mas estou dirigindo a Selecao da Bahrain que ira disputar a Copa do Golfo em Oman a partir do dia 2 de janeiro. Acabamos de retornar de Istanbul, Turquia, onde participamos de um periodo de treinamento de 10 dias incluindo 5 jogos e treinos full-time. Durante esta viagem nos jogamos contra equipes da 1a e 2a divisioes e contra a selecao da Turquia de 20 anos que e a segunda no ranking mundial. O objetivo programado era observar a performance dos meus jogadores em situacoes de jogo executando um sistema que estamos implantando e aperfeicoando com 4 abertos e um pivot movel. Este sistema estruturado se encaixa bem a habilidade dos meus jogadores oferecendo a estes liberdade para criacao em setores diferentes da quadra. Pude observar que os jogadores altos e tecnicos da Turquia, encontraram bastante dificuldades para marcar meus jogadores em situacoes de cortes e movimentos continuos a cesta. Pude tambem observar que os Turcos tiveram muita dificuldade em jogar contra defesas combinadas e pressao 3/4 da quadra. O jogo apresentado pelso Turcos e um jogo simples,tradicional, estilo antiga Iugoslavia – mas notei que estes nao possuem o poder de adaptacao a situacoes e mudancas de constantes na pegada da defesa durante a competicao. Perdemos 2 jogos e ganhamos 3, sendo que uma de nossas vitorias foi contra a selecao sub-20 jogado em uma Arena que cabem 12 mil torcedores. Vencemos o jogo por 4 pontos 67 a 63. Foi uma vitoria historica para Bahrain, pais emergente no Basquetebol com uma populacao que ama o esporte. Caso seja possivel eu poderia mandar alhusma fotos dosjogos e das quadras de treinamento e jogo que por sinal sao maravilhosas. Ate breve.

    Walter Carvalho

  6. Basquete Brasil 31.12.2008

    Walter,é com enorme prazer que recebo seus votos para o ano que se inicia,e retribuo-os em dobro,desejando sucesso em sua vida particular, e mais sucesso ainda na direção da seleção. Sem dúvida alguma gostaria de receber as fotos que guardarei com enorme carinho.Um abração, Paulo.

  7. […] internacional”, que nos empobreceu e mediocrizou nos últimos 20 anos. … fique por dentro clique aqui. Fonte: […]

  8. camila 19.03.2009

    eu só quero saber qual a tatica de jogo de basquete bol
    para uma pesquisa da escola e naum achei nada
    eu tambem gosto muito de jogar tenho um pouco de dificudade na cesta mas quanto mais jogar emlhor fica

  9. Basquete Brasil 19.03.2009

    Prezada Camila,sinto que você não tenha encontrado algo que a ajudasse em sua pesquisa dentro da realidade de mais de 500 artigos aqui postados, provando o quanto ainda terei de postar para atender às necessidades e os rogos de todos os amantes do grande jogo.Temo que não tenha conhecimentos necessários para atingir esta meta.Desculpe-me. Um abraço, Paulo Murilo.

  10. evellyn silva 09.06.2009

    sim, muito interessante este conteúdo . mas eu não encontrei o que eu gostaria, que seria o sistema de jogo do basquete, a quantidade de jogadores e o tamanho da quadra.

  11. Basquete Brasil 09.06.2009

    Prezada Evellyn, sugiro que você navegue um pouco mais no blog,e tenho a certeza de que encontrará material suficiente para suas respostas.Se mesmo assim não as encontrar perdoe a minha capacidade limitada na busca de todas as respostas. Um abraço, Paulo Murilo.

  12. laiana 29.11.2010

    tudo sebre o basquete eu vou pesquisar e levar um

    10 no trabahlo.

  13. Basquete Brasil 30.11.2010

    Prezada Laiana, torço para que tire um 20 no seu trabalho. Sucesso.
    Paulo Murilo.

  14. carol. 22.02.2011

    preciso urgente de informações sobre táticas na formação do time de basquete, por exemplo: 1.3.1 { preciso de informações sobre esse tipo de tática, vantagens, desvantagens, etc. }

  15. Basquete Brasil 25.02.2011

    Prezada Carol, esta matéria mencionada por você é ítem obrigatáorio em livros, livros textos e apostilas sobre basquetebol, sendo facilmente encontrados nas bibliotecas dos cursos de educação fisica, e em livrarias. Aqui no blog discutimos sistemas, conceitos e estratégias do jogo, assim como sua formação basica da forma mais ampla possivel, onde pontualmente nos referimos a sistemas defensivos, como no caso, defesa zonal 1-3-1. Sugiro fortemente que você procure um professor, ou um tecnico de basquete proximo a você, em sua cidade, para dirimir suas duvidas, já que a forma presencial é muito importante pela necessidade de demostrações de carater prático, num treino, ou numa aula.
    Paulo Murilo.

Deixe seu comentário

Comentários Recentes


    Warning: mysql_query(): Access denied for user ''@'localhost' (using password: NO) in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 7

    Warning: mysql_query(): A link to the server could not be established in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 7

    Warning: mysql_fetch_row() expects parameter 1 to be resource, boolean given in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 8