A ARTE DA DEFESA…

Com a definição dos quatro finalistas, o Final Four, chega à decisão nesse próximo fim de semana o Campeonato Universitário da NCAA, onde as equipes de melhor defesa se enfrentarão em batalhas memoráveis, quando num espaço de posse de bola de 35seg. não as vemos esmorecer um segundo sequer, em duelos onde a evolução ofensiva tem primado pela utilização de dois armadores, e agora, três alas, ou pivôs móveis, abrindo mão em sua maioria dos pivôs massudos e lentos, pois dessa forma tentam contornar a superioridade defensiva com velocidade e destreza, numa evolução cíclica que sempre é desencadeada quando um segmento de jogo tende a superar um outro, ou seja, defesas melhores evoluem sistemas de ataque, e vice versa.

UConn, Michigan State, North Carolina e Villanova, esta inovando ao conceito clássico americano de escalação, onde two guards, two fowards e one center, foram substituídos por two guards e three fowards, demonstrando estarem sintonizados com o apelo nacional do coach K, no sentido de modificarem sensivelmente o modo de atuar de suas equipes, visando a retomada internacional abalada nos últimos anos. E estão conseguindo.

Enquanto por aqui, em nosso campeonato NBB, as defesas passam a inexistir à partir dos 15seg. de enfrentamento com ofensivas previsíveis e precário domínio dos fundamentos, onde a premissa americana de melhoria ofensiva ante uma predominância defensiva não encontra eco em nossas equipes e jogadores, todos entregues a um tipo de acordo, onde a aceitação do que ai está os mantêm empregados, mesmo mal, ou não pagos meses a fio.

Então, rebuscando artigos que não mereceram comentários, um que fosse, encontrei este publicado em 19/02/05, e lá se vão quatro anos, onde, a começar pelo título, desafio nossos basqueteiros a pensarem seriamente no que venha a ser defesa, de verdade, e não essa empulhação que nos acostumamos a engolir a cada jogo que assistimos. Mantenho o desafio, e convido a todos a assistirem aulas de defesa, não por 15seg. em 24seg. possiveis, e sim 35seg. intensos e completos à partir desse fim de semana no link (http://mmod.ncaa.com/ ). Ai vai o artigo:

DEFENDER NÃO É PARA QUEM QUER, É PARA QUEM SABE.

Prezados telespectadores, afirmo que 70% de uma defesa é fundamentada na “vontade de defender” por parte dos jogadores.”Querer defender” é a chave do sucesso! Fico curioso em saber o que representam os 30% restantes, mas as explicações não são dadas no restante dos comentários. E fico imaginando como ser possível se ter a posse e o domínio de 70% de um conhecimento qualquer. Não seriam 20, ou 25, quem sabe 30%? E olhe que conhecer 30% de um assunto com alguma importância social, política ou técnica,pode ser considerado um excelente feito, imaginem 70%!! Só um iluminado conseguiria tal marca, e em se tratando de uma habilidade psicomotora nem se fala, beira à genialidade pura.                                                            Todo jogador almeja defender bem, e procura honestamente se esforçar para conseguí-lo, mas nem sempre querer é poder,pois precisa ser ensinado, treinado,aferido, e novamente treinado, ano após ano, em sua formação básica, orientando sua querência ao conhecimento das macro habilidades necessárias na movimentação defensiva. Mas aponte-nos quem, em um país que preza tão somente os cestinhas, os enterradores de bolas, e de jogos, e os bloqueadores de arremessos, quem são aqueles que teimam em ensinar a verdadeira arte de defender? Muito poucos, talvez os conte nos dedos de uma das mãos, se tanto! Macro habilidades? O que significam? Comecemos explicando o que vem a ser micro habilidades , também definidas como “sintonia fina”, que são aquelas imperceptíveis ações musculares que direcionam, controlam e equilibram a bola durante os ajustes necessários a um bom arremesso. Tomemos um manche de vídeo game em um jogo de pilotagem como um razoável exemplo de ação da micro musculatura. Ao movê-lo, como em um jato supersônico real, pouco ou quase nenhuma movimentação do mesmo é notada. No entanto, todo um controle direcional de grande complexidade, dada a elevada velocidade, é exercido pela ação da micro musculatura de braços,mãos e dedos,com um elevado desgaste físico mental proporcional ao tempo em que a atividade é exercida. Pilotos de jatos supersônicos sofrem intensamente esse desgaste provocado pela alta concentração mental e ação continua da micro musculatura, que são elementos que agem conjuntamente. Treinar arremessos após atividades estafantes são incentivadas por técnicos como uma forma de aumentar a resistência dessa musculatura, o que é contestado por outros tantos técnicos. A macro musculatura é responsável por pequenos, porém bem visíveis movimentos que antecedem a ação das grandes massas musculares, principalmente em movimentos de grande intensidade, de grande explosão. A macro musculatura dita, controla e desencadeia a movimentação que será exercida pelas grandes massas musculares, e por isso deve ser treinada com afinco, atenção e muita repetição.                                             A ação defensiva efetiva deve ter como treinamento básico o pleno conhecimento, e consequente controle sobre as ações e limites da macro musculatura. Como o defensor sempre reage a uma ação do atacante, quanto menor for a distância entre estas duas ações, mais eficaz será a atitude defensiva. Os muito bem treinados conseguem, em algumas situações, a antecipação à ação ofensiva, constituindo-se no ideal a ser alcançado. Nenhum treinamento defensivo se compara ao”shadow”, ou movimentação em sombra, quando o pugilista se defronta com sua sombra projetada em uma parede, ou perante um espelho, ou da forma mais sofisticada, que é, de olhos cerrados travar um combate fictício com um adversário somente visível por ele mesmo, em situações às mais eficazes que sua mente possa produzir. O defensor de basquetebol tem que agir em treinamento como um pugilista atento, sagaz e eventualmente antecipativo às ações do atacante. Sua macro musculatura se manifestará em ações negaceadas, unidirecionais, e até antecipativas, antes que as massas musculares desencadeiem as ações de efetivo bloqueio e deslocamentos pelo terreno de jogo. Para ser considerado um bom defensor, o atleta necessitará de um longo e trabalhoso conhecimento sobre suas ações corporais conjugadas com seu poder de concentração mental, e somente treinamentos específicos o farão adquirir tais habilidades, e fundamentais conhecimentos.                                                                                                                                                 Por isso afirmo com grande conhecimento de causa, por ter preparado muitos talentosos jogadores, necessários a bons e eficientes sistemas defensivos, que defender não é para quem quer, é para quem sabe, conhecimento este que deveria se constituir ao longo da carreira de um jogador em um percentual o mais próximo que lhe for possível dos 70% da ação, reservando-se os restantes 30% à vontade de defender. Creio que o comentarista se enganou e trocou os valores, mas isso acontece…

Amém.



9 comentários

  1. Glauco Nascimento 31.03.2009

    Ótimo texto, muito bom mesmo. Tenho acompanhado alguns jogos da NCAA, mas não como eu queria. É um tipo de jogo bem diferente de qualquer liga pelo fato das regras. Posso até estar falando idiotice, mas o que eu vi em alguns jogos foram muitos erros e arremessos de 3 forçados. Eu realmente ainda não consigo ver um jogo e fazer uma análise técnica dos times, só consigo fazer isso durante um tempo, depois o meu espírito de torcedor toma conta! Você poderia falar mais sobre defesa por aqui, dar dicas de treinamento e tal! Eu lhe seria muito grato!

  2. Basquete Brasil 31.03.2009

    Prezado Glauco,nesses 534 artigos publicados creio que uns 100 versam sobre defesa.Talvez seja o fundamento que mais me empenho em difundir e encorajar os técnicos no seu desenvolvimento.Publiquei um inclusive,Defesa Linha da Bola, que é o segundo artigo mais pesquisado no blog,perdendo somente para o Conceitos x Fundamentos.Deverei continuar a publicar mais artigos sobre defesa,basta ter um pouco de paciência.Obrigado pela sua importante audiência.Um abraço, Paulo Murilo.

  3. Glauco Nascimento 01.04.2009

    Eu que tenho que lhe agradecer por esse importante material que você disponibiliza no seu blog. Eu realmente ainda não tive tempo de ler os artigos antigos por conta de faculdade e trabalho, só consigo ler os artigos novos. Vou ser se consigo ler os outros artigos. É muito dificil encontrar material de estudo e leitura sobre basquete, sobre iniciação e desenvolvimento de habilidades! Meus parabens e, por favor, continue com seus artigos!! Grande abraço!

  4. Gil Guadron 01.04.2009

    — La letra “D” de defensa siempre esta antes de la letra “E” de exito —.

    Los jugadores atacantes de la actualidad estan tremendamente bien fundamentados en realacion a los jugadores de hace algunos años atras, eso deberia ser el incentivo basico para que los entrenadores actuales re-doblen su esfuerzo , que trabajen — con mas tiempo y dedicacion las destrezas defensivas individuales —.

    La defensa debe ser entrenada en cada entreno para ser aprendida , dominada y puesta en la practica en los partidos.

    La defensa empieza con la posicion fundamental y finaliza con la posicion fundamental ( cadera baja ,rodillas flexionadas como si estuviera usted sentado en una silla ,– piernas separadas ligeramente mas amplias que lo ancho de sus hombros — espalda recta , vision panoramica ,etc.).

    La defensa se juega con las piernas, las manos son apenas accesorios.

    Defensa significa hostigar e interrumpir el desarrollo del ataque rival, debe de constituir el corazon de los equipos y la base del ataque.

    Rapidez, balance corporal, actitud mental, orgullo ,y el trabajo diario de los fundamentos defensivos ya individuales como grupales lograran que su equipo practique una excelente defensa.

    Como todo buen vendedor usted como entrenador debe de saber “venderle” a sus jugadores la importancia de la defensa, pero una defensa agresiva y explosiva , pero leal.

    Att.
    Gil

  5. Basquete Brasil 02.04.2009

    Nada a agradecer Prezado Glauco,e pode estar certo de que continuarei a publicar os artigos,inclusive já tenho pronto um livro com os melhores, ampliados e ilustrados.Falta somente uma editora que se interesse em publicá-lo.Um abraço, Paulo Murilo.

  6. Basquete Brasil 02.04.2009

    Caro amigo Gil,estou em falta com a sua pagina exclusiva aqui no blog,mas cedo ou tarde a terei publicada.Como sempre e com muita propriedade aqui está você com seus conhecimentos e idealismo em divulgá-los aos jovens técnicos.Como afirmei a tempos,formamos uma boa dupla de professores num mundo em que a educação sofre tantas restrições.Mas o importante é que continuemos, sempre.Um abração,
    Paulo.

  7. Jalber Rodrigues 07.04.2009

    Caro Glauco, pedindo licença ao professor Paulo recomendo a leitura dos debates sobre fundamentos. Procure pelos títulos o que todo jogador deveria saber!!
    Tem ótimos debates!!! Uma leitura muito boa!!! Agradável e extremamente informativa e formativa.
    Abraço.

  8. Everton S. Machado 17.04.2009

    bom texto.
    mas ainda acho q deveria ter mais dicas de como ser um bom pivô.

  9. Basquete Brasil 17.04.2009

    Prezado Everton, entre no blog e no espaço Buscar Conteúdo digite -O que todo pivô deveria saber I e II- Pronto,são dois artigos sobre pivôs. A série O que todo jogador deveria saber,de 1 a 10 capitulos também tem bom material sobre os fundamentos do jogo.Espero que sejam atendidads as suas expectativas. Um abraço,
    Paulo Murilo.

Deixe seu comentário

Comentários Recentes


    Warning: mysql_query(): Access denied for user ''@'localhost' (using password: NO) in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 7

    Warning: mysql_query(): A link to the server could not be established in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 7

    Warning: mysql_fetch_row() expects parameter 1 to be resource, boolean given in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 8