RESPONDENDO AO ALCIR…

A uma enquete feita pelo editor do News Flash, Alcir Magalhães, sobre nomes a serem indicados para a seleção masculina brasileira e seu técnico, assim respondi a tão instigante assunto:

Prezado Alcir, se bem você me conhece, saberá do meu posicionamento, sempre coerente e objetivo, jamais especulativo. Exatamente por assim ser e me comportar é que não vejo razões para mencionar nomes, quando o fundamental neste momento são as definições de objetivos a serem alcançados através planejamento de alto nível e execução de nível mais alto ainda.

Sem dúvida nenhuma, se formos para o Mundial sobraçando o sistema único de jogo que teimosa e drasticamente utilizamos anos a fio, não passaremos da segunda fase, pois tal sistema é dominado por aquelas equipes que contam com jogadores que dominam os fundamentos melhores do que nós, principalmente pelo conhecimento que têm de todas as nuances do mesmo. Somente galgaremos etapas se nos apresentarmos com algo de novo no aspecto técnico tático, somado a uma substancial melhora no preparo e treinamento dos fundamentos por parte de todos aqueles que forem selecionados, rigorosamente todos.

Logo, a recente evolução que alguns técnicos incutiram em suas equipes, baseada na dupla armação, com resultados bastante apreciáveis, tanto ofensiva, como defensivamente vêm demonstrando, deveria nos levar a uma escolha (já que não existe uma associação de técnicos e seu colegiado máster) dentre os técnicos que estão ousando tal reforma, pois a mesma poderá nos levar a excelentes resultados a médio prazo. São poucos bem sei, mas demonstram serem corajosos o suficiente para nos tirar da mesmice e do marasmo em que nos encontramos. Sabemos quem são, e por conta desta evolução, não precisamos de técnicos estrangeiros, principalmente aqueles que professam o sistema NBA, que nem mesmo os americanos liderados pelo Coach K o utilizam mais.

Quanto aos jogadores, uma seleção potencialmente forte dentro de um parâmetro baseado na dupla armação, teria de ser formada por quatro armadores, quatro alas e quatro centros, para poderem atuar com dois armadores, um ala e dois centros, ou dois alas e um centro, onde dois jogadores atuariam fora do perímetro, em toda a sua extensão, interagindo com três homens altos permanentemente em movimentação dentro do mesmo, como algumas equipes nossas ensaiam timidamente se comportar.

Se somente possuímos dois armadores de altíssima qualidade, que se preparem mais dois, pois talentos para a posição temos em razoável número, nunca esquecendo que nesta posição o pleno amadurecimento é alcançado após longos anos de prática, onde a média internacional de idade é alcançado por volta dos 30-34 anos.

Os alas são aqueles que mais precisam evoluir nos fundamentos, principalmente o drible, a finta, os arremessos e o posicionamento defensivo.

Os centros, ao atuarem em movimento permanente deverão primar pela velocidade de deslocamento, pelo posicionamento antecipativo na defesa e nos rebotes, e principalmente, serem aqueles que dominam sua tabela e evoluem à tabela contrária na mesma jogada. Centros pesadões se tornaram anacrônicos no basquete de velocidade e raciocínio rápido. Temos bons jogadores com tais características, fundamentais se realmente optarmos por três homens altos evoluindo no perímetro interno, seja contra defesas individuais, como as zonais.

Concluindo, pensar e mencionar nomes de jogadores fica muito bem para torcedores e entusiastas de pseudos ícones, e não para conhecedores de fato do grande jogo, pois se aqueles se deixam levar pela emoção, estes se centram na técnica e na premissa de que jogar um jogo que difere da mesmice é meio caminho andado para bons e promissores resultados, já que fundamentado na imprevisibilidade de ações, terreno minado para quem os enfrentam. Nem sempre “nomes” vencem grandes competições, talvez alguns jogos, que em se tratando de seleções nacionais  pouco representam. Uma grande equipe, seja de que categoria for, somente será realmente grande pela dedicação de todos os seus componentes, em torno de uma liderança forte e compromissada com sistemas evoluídos e surpreendentes.

O técnico? Temos alguns muito bons, e brasileiros. Basta que os deixemos trabalhar e liderar, e que aquele dentre todos escolhido assuma a solidão de um cargo que não admite divisões de comando, a não ser aquelas tarefas delegadas pelo mesmo, quando assim o quiser e achar serem necessárias. Esse é o onus do comando, que muitos pseudo democratas teimam em minimizar nas vitórias, e maximizar nas derrotas, fatores que um técnico de verdade assume igualmente, já que mestre em sua função.

Essa, prezado Alcir, é a minha concepção de seleções nacionais. Os nomes acontecerão normalmente, se normais forem os critérios, não os de escolhas, e sim os de conquistas baseadas no mérito, e somente pelo mérito.

Um abração, Paulo Murilo.



4 comentários

  1. Gil Guadron 17.12.2009

    PARA ENTRENADORES DE EQUIPOS DE FORMACION

    EL “MOTION OFFENSE” , ataque contra defensas personales.
    ( continuacion )

    Es es una manera de atacar en la que los jugadores tienen una extraordinaria libertad para — la toma de decisiones –.

    Si decide incorpora este sistema de juego en su filosofia como entrenador, tome en consideracion lo siguiente:

    1- El ataque debe tener una gran flexibilidad: eso le permitira utilizar de la manera mas racional el material humano del que usted dispone.

    2- Los rivales determinan a quien de nuestros jugadores ellos marcaran, pero nosotros determinamos en donde y en que lugar nos marcaran.

    3- Absolutamente todos los jugadores deben de — dominar — todas las habilidades de un buen atacante, pues esto permitira que su equipo realmente juegue basquetbol.

    4- Lo mas importante en el “Motion Offense” es — pasar, cortar y poner pantallas –.

    Seis Principios Fundamentales para el Ataque:

    1- La seleccion del tiro:
    Esta referido a que tipo de tiro se debe tomar y cual no se debe tomar. Quienes lo tomaran y quienes no lo tomaran. Algo muy importante es que usted como entrenador debe decidir cual o cuales jugadores tomaran el tiro, y cuales jugadores no los tomaran.

    2- Maneje la pelota sin cometer errores ( pasar y cachar ). Aunque le parezca raro solo con el dominio de estas dos destrezas usted ya tiene la base para construir el ataque. Ofensivamente absolutamente nada funcionara sin el dominio de estos dos conceptos.

    ** Siempre pase la pelota al lado alejado del defensa **

    Usted como entrenador debe saber las reales condiciones de sus jugadores.

    ** Jamas le pase la pelota a alguien que no podra hacer nada — bueno — con ella **. Mejor que se dedique a ” poner pantallas “, a “cortar ” , pero no a manejar la pelota.

    3- Muevas sin la pelota, lea al defensa. En el basquetbol de ataque es mejor ” llegar al lugar un poquito tarde, que muy temprano “.

    — Muevase constantemente, hagase dificil de marcar —

    4- Spacing: Mantenga una distancia de unos tres ~ cuatro metros entre cada jugador atacante, le facilitara entre otras cosas :
    4.1. Ball reversal,
    4-2. Alimentar al Poste,
    4-3. Cortar y si decide, regresar etc.
    4-4. Permite la fuidez en los desplazamiento

    5- Ayudense uno al otro a desmarcarse ( Pantallas )

    En Indiana University, bajo la direccion de Coach Bob Knight, solo se permiten las — pantallas indirectas –, y estas deben ser colocadas — desde el interior hacia el exterior –, de tal manera que el jugador quen recibe la pantalla, corte o hacia la canasta , o hacia la pelota.

    5-1 : Pantallas hacia abajo ( Down Screen ), normalmente de “Guard” al “Forward”.

    — la espalda de quien pone la pantalla debe estar completamente orientada hacia la pelota —

    — Coloquele la pantalla directamente al defensor, practicamente golpeelo con su estomago.

    5-2 : Pantallas hacia la espalda ( Back Screen ), normalmente del “Poste” al “Forward”

    — La espalda de quien coloca la pantalla debe estar alineada con la canasta que estamos atacando —

    5-3 : Pantalla cruzada ( Cross Screen ) , generalmente entre los dos “Postes bajos”.
    Caracteristicas:
    5-3-1. Gire,
    5-3-2. Vea,
    5-3-3. Vaya a colocar la pantalla, generalmente se lleva a cabo hacia la mitad del area pintada.

    5-4 :Pantalla que le permite al jugador escaparse hacia las lineas laterales ( Flare Screen )

    Ejm. la pelota en un “Guard “, ubicado hacia al lado derecho de la cancha, un “Forward” en el lado izquierdo, sube a colocar una pantalla al “Guard” de ese lado, este aprovechando la “Flare Screen” se desplaza hacia las cercanias de la linea lateral, pero siempre en su — rango de tiro –, recibe un pase cruzado del “Guard”, del lado derecho.

    — Aqui la espalda de quien coloca la pantalla esta orientada directamente la esquina,( linea final y lateral )

    5-5 : Pantalla Deslizada ( Slip Screen ) : Inicia cualquiera de las pantallas mencionadas, y se da cuenta que el defensor se anticipa a dicho movimiento, entonces el atacante suspende el colocar dicha pantalla y, cambiando de direccion –corta– hacia la canasta , recibe el pase y anota.

    5-6 : Colocando la pantalla, frente a la situacion “cambiante” del momento, re-ajusta la posicion de sus cuerpo, para atrapar al defensor. ( Re- Screen ). A utilizar en cualquier tipo de pantala.

    6- Mueva la pelota:
    6-1. Drible solo para mejorar el angulo de pase, para balancear el ataque , escaparse hacia la canasta ( no mas de dos dribles ), para “obligar” a que la defensa de ayuda y poder ejecutar un — pase al compañero atacante desmarcado — y para escaparse de algun problema

    6-2. Utilize el — reverse pass — y el –cross pass –.

    Corolario:

    A- Seleccion de tiro.
    B- Maneje la pelota con cuidado.
    C- Muevase constantemente, hagase dificil de marcar.
    D- Ayudense uno a otro a desmarcarse.
    E- Juegue sin la pelota,jamas se quede parado, y
    F- Mueva la pelota

    Respetuosamente.

    Gil Guadron

  2. Basquete Brasil 18.12.2009

    Gil, obrigado por sua participação sempre muito bem vinda no blog, cujos comentários tem sido de grande valia para os novos técnicos que se iniciam na formação e direção de equipes de base, e também para aqueles que militam nas divisões superiores. Ainda não consegui abrir a página das contribuições técnicas, espaço democratico e de grande valor didático pedagógico. Mas o farei em breve.
    Desejo para você, Luiza e filhas e netos, um Natal pleno de harmonia e amor, e que 2010 nos brinde com o sucesso dos justos. Um abração do amigo Paulo.

  3. Gil Guadron 18.12.2009

    Paulo:

    Como siempre es un placer colaborar a su tan leida pagina, y lo continuare haciendo siempre y cuando usted como sus amables lectores me lo permitan.

    En esta oportunidad e compartido algunas de mis aprendizajes/experiencias en Indiana University, agradeciendo en gran medida la oportunidad de estudiar dicho sistema ofensivo directamente bajo la direccion del Coach Bob Knight.

    Mi proxima colaboracion sera el “Motion Offense” contra la defensa de zona.

    Su eterno amigo.

    Gil Guadron

  4. Basquete Brasil 19.12.2009

    Fico na expectativa Gil. Um abração, Paulo.

Deixe seu comentário

Comentários Recentes


    Warning: mysql_query(): Access denied for user ''@'localhost' (using password: NO) in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 7

    Warning: mysql_query(): A link to the server could not be established in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 7

    Warning: mysql_fetch_row() expects parameter 1 to be resource, boolean given in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 8