PENSANDO O FUTURO – O GRANDE JOGO…

Caros e prezados basqueteiros de meu  país, principalmente vocês, os jovens técnicos que se iniciam nessa extraordinariamente difícil arte, a de dirigir consciente e tecnicamente equipes de basquetebol, de que divisão for, de qualquer faixa etária, masculinas e femininas, em escolas ou clubes, em seleções municipais e estaduais, e mesmo para aqueles que exercem o privilégio de orientarem seleções nacionais, enfim, a todos que amam o grande jogo,  tenho agora a oportunidade de divulgar um trabalho, humilde e honesto trabalho de muitos e muitos anos, sempre na contra mão de um sistema perverso que nos foi imposto cerca de vinte anos atrás, e que nos levou ladeira abaixo do desprestigio nacional e internacional.  Tem sido o mesmo empregue  desde sempre em divisões de formação,  de importância e referência sempre minimizada e até excludente pela maioria técnico dirigente, mas que vem, agora numa divisão de elite,  provar seu valor e mérito, não como uma panacéia das muitas impostas a todos nós como conquistas de alto valor, mas sim como uma experiência calcada no estudo incansável junto aos jovens, junto aos que sonham um basquete de melhor qualidade, ou seja, a minoria absoluta daqueles que realmente propugnam algo de muito sério, novos caminhos para o grande jogo entre nós, e não o engessamento colonizado de uma modalidade ora atrelada a interesses que não nos dizem respeito, o basquete globalizado e asfixiante, um tipo de basquete que nos esmaga e humilha.

Para todos aqueles curiosos sobre o que vem a ser jogar com dois armadores puros e três pivôs móveis, e a utilização da defesa linha da bola com flutuação lateralizada, posso agora, através de alguns vídeos de jogos da equipe que ora dirijo, o Saldanha da Gama, dar continuidade demonstrativa iniciada com a veiculação de um outro video de 1996, da equipe do Barra da Tijuca no campeonato Infanto Juvenil daquele ano, onde estes sistemas ensaivam seus primeiros passos, o que pode aqui ser testemunhado.

Inicio a série com o jogo contra a equipe do Universo de Brasilia, com a formação egressa do afastamento de três de seus principais jogadores, mas que mesmo assim, através um intenso e sacrificado treinamento se manteve coesa e competitiva, demonstrando que os sistemas ofensivo e defensivo adotados e aceitos por todos os seus integrantes dão mostras incontestáveis de que podem e devem se tornar uma alternativa válida, dentre as muitas que poderão advir dessas propostas postas em prática no campo de jogo.

Vejam, analisem, discutam os vídeos, e depois o critiquem à luz do bom senso, aceitando ou não suas propostas, para enfim concluírem sua validade ou não, ou pelo menos permitindo que se abram novos caminhos e meios de fazermos basquetebol em nosso país, premiando e valorizando a diversidade, a liberdade de ações e pensamento, deixando enfim, fluir a criatividade, nossa esquecida e formidável arma tupiniquim.

Amem,

PS – Na última jogada do quarto final, o cameramen empolgado com o jogo deixou de focar a cesta do jogador Guilherme da equipe de Brasilia, mas focou a cesta final do jogador Roberto da equipe do Saldanha da Gama. PM.

Quando estiver vendo o video em tela cheia e este congelar, tecle ESC que o mesmo dará seguimento , podendo voltar à tela cheia sem problemas.

26 comentrios

  1. Vinicius 17.04.2010

    o final desse jogo é sensacional aquela cesta do roberto com certeza o jogo mas emocionante da minha vida,cheguei a chorar de emoção

  2. Basquete Brasil 17.04.2010

    Sim Vinicius, foi um belo e bem disputado jogo, e não “um presente natalino atrasado”como alguns insinuaram. Valeu pelo grande esforço da equipe frente a tantas dificuldades.Um abraço, Paulo Murilo.

  3. Gustavo 17.04.2010

    Sou de Brasília, torcedor do Universo e gostaria de parabenizar o treinador pelo blog, pela disponibilidade em compartilhar um pouco da teoria do basquete, o video do jogo e acima de tudo pela agora explicada vitória.

  4. Guilherme de Paula 17.04.2010

    Nossa, professor..

    é emocionante…

    é absurdo que não haja uma chuva de ofertas em cima de sua mesa, para o senhor escolher o melhor projeto pro ano que vem. Era o mínimo que se esperasse após ver como mudou o astral, o moral e principalmente a parte técnico/tática em seu trabalho em Vitória.

    Espero, de qualquer maneira, que o senhor esteja no NBB 3 pra continuar sacudindo as estruturas.

  5. Marcos Nunes 17.04.2010

    Olá professor, assisti este jogo ao vivo e presenciei essa maravilha. Um outro jogo que gostaria de ver é aquele último que vocês ganharam do Joinvile. Sou amigo pessoal do Washington e o mesmo me falou que foi um jogo lindo. Obrigado desde já e espero que o senhor renove seu contrato e fique aqui em Vitória. Caso isso não aconteça, que o senhor escolha muito bem as propostas que já tem. Um abraço.

  6. Basquete Brasil 17.04.2010

    Prezado Gustavo, muito obrigado pelos seus votos, mas nada mais fiz do que reportar a realidade daquele excelente jogo a todos que gostam de verdade de basquetebol. Um abraço, Paulo Murilo.

  7. Basquete Brasil 17.04.2010

    Posso afiançar a vocês, Guilherme e Marcos, que em cima de minha mesa habitam projetos e planejamentos para a proxima temporada junto ao Saldanha e sua bela equipe, única entidade interessada, e que se interessou pelo meu trabalho. Mais dois ou três jogos veicularei aqui no blog, e o de Joinville será um deles. Um abraço aos dois,
    Paulo Murilo.

  8. ALEXANDRE MIRANDA 17.04.2010

    PROFESSOR..AGORA SIM, POSSO VER COM OS OLHOS O QUE EU APENAS VIRA COM A IMAGINAÇÃO.

    QUE BOA PRESENÇA DE ESPÍRITOS DESTES RAPAZES!

    BOAS INTERVENÇÕES TÉCNICAS.

    BOAS ROTAÇÕES.

    MAS ME DESCULPE, COM MINHA LIMITADA VISÃO TÁTICA APENAS CONSEGUI VERIFICAR O TRABALHO DOS PIVÔS MÓVEIS E DOS ARMADORES..MAS NÃO CONSEGUI VER COM CLAREZA A DEFESA QUE O SENHOR APREGOA..O SENHOR PODERIA ME PONTUAR ALGUM QUARTO EMBLEMANTE EM QUE ESTA DEFESA FORA BEM ORGANIZADA?

    GRATO E ABRAÇOS SINCEROS.

  9. Basquete Brasil 17.04.2010

    Prezado Alexandre, a defesa funcionou em todos os quartos,haja vista o grande número de interceptações, e o principal, a baixa produtividade dos jogadores de Brasilia nos arremessos de três pontos, um dos pontos fortes da equipe. Os 75 pontos que fizeram ficaram muito abaixo de sua média na Liga, com numeros acima dos 85 pontos. A nossa defesa embasou o nosso ataque, dando ao mesmo chances de sucesso. Realmente, somente um bem experimentado conhedor de basquete pode avaliar o sistema de linha da bola com precisão e argucia, pois se trata de um sistema de ações criticas e precisas. Reveja o jogo com atençãovoltada a defesa, e logo descobrirá sua eficiência e precisão. Um abraço, Paulo Murilo.

  10. Diego Felipe 18.04.2010

    Professor, uma pequena curiosidade: qual a altura do seu armador, o n° 4?

  11. Diego Felipe 18.04.2010

    ou seria o armador de brasilia?

  12. Basquete Brasil 18.04.2010

    Prezado Diego, o Joel Muñoz tem 1,72m de altura, mas seu talento e excepcional leitura de jogo, além de ótimo defensor, o transformam em um gigante dentro da quadra. Não é atoa que pertence à seleção nacional do Panamá. Um abraço, Paulo Murilo.

  13. Diego Felipe 18.04.2010

    É exatamente a minha altura. Algumas pessoas ainda dizem que eu não devia jogar basquete, por este ser um esporte voltado aos mais altos. Sinceramente penso que ele é voltado àqueles que querem jogá-lo, e principalmente aos que querem jogá-lo bem. Obrigado professor.

  14. Basquete Brasil 18.04.2010

    De nada Diego,confie em suas qualidades, aprimore-as e siga feliz jogando o grande jogo. Torço por você. Um abraço, Paulo Murilo.

  15. Pedro 19.04.2010

    Grande jogo professor!

  16. Basquete Brasil 19.04.2010

    Sim prezado Pedro, foi um grande e comovente jogo. Valeu todo o esforço. Um abraço, Paulo Murilo.

  17. Leandro Areco 19.04.2010

    Parabéns Professor por essa linda vitória e as lições ensinadas por meio desse seu blog. Sinceramente não quero ver o Sr. atuando nas “grandes” equipes, pois eh muito cheia de jogador “estrela”. Não consigo imaginá-lo passando instruções para os Machados, Nezinho, a cúpula de Franca… Acho que o lugar do Sr. é aí mesmo, dando incentivos para jovens jogadores e fazendo com que eles mostrem seu real valor! Agora, esse esquema de jogo armado pelo Sr. eu nunca vi antes! Deve confundir o adversário todo! 2 armadores e 3 pivôs móveis, sendo q o mais alto tem se nao me engano 2,03m. É interessante (mas perigosa tb) essa troca de bola entre os dois armadores, cruzando a bola pelo alto, pois quando a inversão é bem sucedida, pega a defesa desprevenida e na tentativa de se reposicionarem, acabam abrindo muitos espaços. Foi o que notei principalmente no ultimo quarto!
    Sucesso grande Mestre!!!

  18. Diego Felipe 19.04.2010

    Professor, assistindo aos vídeos do jogo, pois só agora tive tempo, notei o posicionamento e a vontade de defender do time na roubada de bola aos 11:24 min do primeiro video. E quem diria que essa era uma equipe considerada ‘derrotada’. Sinto cheiro de coisa boa para a proxima temporada, tanto para o senhor quanto para o time que treinar.
    Abraços

  19. Basquete Brasil 20.04.2010

    Prezado Leandro, obrigado pelos elogios a equipe e seu jeito um tanto diferente de atuar. Constato que você notou que a interação entre os armadores se dá em todo o perímetro externo, além de suprirem permanentemente o interno com seus pivôs móveis, todos se movimentando sem a bola, permanentemente. Quanto ao fato de dirigir, ou não, equipes”grandes”, não as vejo maiores que o Saldanha de agora, e se de fato dirigisse uma delas o tratamento respeitoso e técnico que mantenho com os jogadores dessa bela equipe, seria idêntico, pois a formação e sedimentação de um grupo somente se torna possível através o respeito, a consideração e o pleno conhecimento das técnicas necessárias à formação de uma equipe de alta competição.Não existem jogadores dificeis, e sim técnicos sem o devido respaldo da experiência e do profundo conhecimento das técnicas do jogo, nada mais. Mais uma vez obrigado. Um abraço, Paulo Murilo.

  20. Basquete Brasil 20.04.2010

    Prezado Diego, que ótimo que suas observações tenham recaido no aspecto defensivo,ponto nevrálgico da equipe.De uma boa defesa, de sua firmeza e combatividade, todo um projeto ofensivo pode ser alcançado, fatores estes que têm se constituido no ponto mais forte da equipe e seus dedicados componentes. Quanto a proxima temporada, tudo farei, se devidamente apoiado pela direção, para que a equipe se rivalize com as demais, na busca da classificação meritória. E lá poderemos chegar, com muito trabalho e esforço.
    Um abraço, Paulo Murilo.

  21. Emanuel 20.04.2010

    Professor gostaria que o senhor comentasse como organizar uma transição defesa-ataque(depois de uma defesa zona e individual) usando esse sistema de jogo de 2 armadores e 3 pivos moveis.
    Muito Obrigado…Abraço

  22. Basquete Brasil 20.04.2010

    Prezado Emanuel,inicialmente definamos transição:
    TRANSIÇÃO (zi, s,f. Ato ou efeito de transitar; passagem de um lugar ou de um estado de coisas para outro; mudança; trânsito; trajeto.
    (Do lat. transitione.)
    -Dicionário da Lingua portuguesa.

    TRANSITION n. a passing from one condition, place, etc. to another.
    -Webster’s Dictionary.

    Como vemos Emanuel, uma transição simplesmente define a passagem de um lugar para outro, da defesa para o ataque, e porque não, vice versa? Então porque definir tal situação como uma técnica de jogo, e não encará-la como algo natural e decorrente?
    Logo, no meu ponto de vista, a passagem da defesa para o ataque deve se pautar em dois pontos: Se cadenciado, ações coordenadas entre os dois armadores, onde prevalecerá a transposição do meio da quadra dentro dos oito segundos regulamentares. Se em contra ataque, toda a ação direcionada ao meio da quadra, mesmo que isso obrigue uma redução de velocidade, pois tal posicionamento obriga uma concentração defensiva também centralizada, abrindo espaços nas alas, por onde os ataques serão concluidos.
    Estas ações independem de formações e sistemas de equipes, já que naturais e óbvias.
    Espero ter respondido a contento. Um abraço, Paulo Murilo.

  23. Henrique Lima 21.04.2010

    Professor Paulo, comecei a assistir ao jogo. Faço das palavras de todos, os elogios, apoio, incentivo e também prazer ao ver uma nova forma de jogar, tão pouco difundida por aqui.

    Excelente assitir como é a movimentação dos três pivôs e a coordenadação dos armadores.

    Verei o resto do jogo assim que puder e tiro as dúvidas que tiver com o senhor !

    Um grande abraço !

  24. Basquete Brasil 21.04.2010

    Que bom que tenha gostado Henrique. Aguardo suas criticas e dúvidas para mais um debate técnico sobre uma forma “diferente”de jogar o grande jogo, segundo alguns já manifestaram. Eu particularmente não diria “diferente”, mas sim, diferenciado da mesmice vigente.
    Um abraço, Paulo Murilo.

  25. Antonio marcos 06.10.2010

    Professor Paulo, maravilhosa idéia de demonstrar para quem gosta de
    basquete, novas formas de jogar! Sou apaixonado por esse esporte, nunca fui jogador profissional, mas tenho imensa vontade de ser tecnico um dia! Aprendi muito com esses videos e suas táticas. Continue assim, pois quem sabe “abrirá a mente de quem realmente precisa”. E eu continuo a aprender muito com isso. Obrigado, Marcos.

  26. Basquete Brasil 07.10.2010

    Bem que tentei, como você diz, abrir a mente de quem realmente precisa, mas parei, ou pararam, na experiência junto ao Saldanha, prezado Antonio.
    Mas seguirei aqui no blog, como o faço a seis anos.
    Um abraço, Paulo Murilo.

Deixe seu comentrio