QUEM FAZ UM CESTO, FAZ UM CENTO…

Paulo, nada sobre a Iziane? Nada sobre o IOB (Instituto Olímpico Brasileiro)? Está perdendo a forma?

Caramba, não exagera cara, já publiquei tudo que teria de publicar sobre esses assuntos, não preciso ficar batendo em ponta de faca, tenho mais o que fazer.

Mas, para não deixar seus questionamentos pendurados na broxa, acesse os dois links abaixo, e acredito que atenderei suas criticas. Vamos lá:

- http://blog.paulomurilo.com/2010/01/02/a-condicao/

 

- http://blog.paulomurilo.com/2007/09/24/o-triste-deserto/

 

O primeiro artigo define sob meu ponto de vista, toda uma situação que deveria ter sido equacionada levando-se em conta um único fator, a ética desportiva, nada mais do que isso, a ética e seus princípios reguladores do comportamento básico do desportista.

O segundo descreve e demonstra a imensa distância que separa o discurso pretensioso e hipócrita da lamentável realidade do nosso “olimpismo”. Organizar um Instituto Olímpico Brasileiro, para preparar treinadores de alto nível, sem a base bibliográfica fundamental e cientifica (para desportistas, e não paramédicos…) cheira a mais um cabide de empregos para alcólitos e aspones que circundam o poder do desporto (?) nacional. Mas lembrando as palavras do meu velho pai e grande causídico (e não advogado bissexto…), “cada povo tem o governo que merece”. Mas lá no fundo somos culpados e cúmplices desse tenebroso carnaval. A omissão libera a existência de tudo isso, lamentável.

Amém.

Deixe seu comentrio