OMISSÕES E PALAVRÕES (PRA VARIAR)…

P1040425P1040437

Não o conhecia, pois era um obscuro assistente até poucos dias atrás, mas sua apresentação foi exemplar quando em seu terceiro tempo pedido vociferou do alto de seus dois metros – “Vê se joga essa porr… Vai tomar no,,,, porr…!”

Gelei ante tanta elegância e educação, numa exibição televisiva plena da mais absoluta liderança, a tal ponto que o comentarista Renato dos Santos, que até aquele momento tecia loas ao “técnico” com a formidável campanha inicial de três jogos e iguais vitorias, mudar seu discurso tecendo críticas à forma nada recomendável que alguns técnicos procedem ao se dirigir a seus jogadores com berros e palavrões…

Bem, naquele cenário de uma pelada monstruosa, em que cada jogador tomava para si as definições das jogadas, com uma ou outra exceção, mas  sendo considerado um jogaço de basquete, atitudes como aquela compunha com precisão o doloroso espetáculo, mas não muito distante das tomadas de decisão no outro banco, por parte de jogadores ante a omissão de uma comissão técnica que se via presente somente por seus vistosos uniformes, e nada, absolutamente nada mais.

Perante tantas falhas de comando e liderança, comentar o que, como e para que, se nada mudará nas atitudes e decisões daqueles que são considerados técnicos da elite do nosso triste basquetebol?

E o pior ainda está a caminho, conforme o ofício da ENTB/CBB divulgado ontem, 20/12/13, onde afirmações como – (…) “Para 2014 eu espero que a filosofia continue se difundindo e tendo todo esse crescimento” (…), avaliado por  Flavio Davis, seu coordenador pedagógico, que ainda propõe estabelecer um corpo docente permanente (já existente, por sinal, que pelo visto será aumentado, claro, de acordo com a filosofia técnica e econômica vigente…), e a escolha de 50 treinadores de referência nacional para serem colocados em parcerias com treinadores de categorias de base, fazendo um trabalho de mentor e pupilo durante a temporada, como se tivéssemos tal número de mentores num país onde assistimos performances de técnicos como as acima comentadas…

Ah, e ainda propondo a criação do Dia Nacional do Treinador de Basquetebol, uma tremenda bobagem ante a inexistência de associações regionais e a nacional de técnicos, que se existissem como deveriam, nada do que vem sendo perpetrado por esse grupo corporativado seria passível de existir, sem o aval de toda uma comunidade afastada das decisões pautadoras do futuro do grande jogo no nosso injusto, deseducado e inculto país.

Logo, atitudes como as acima descritas, e que se repetem a cada dia, da formação à elite, terão continuidade sob a chancela de uma política unilateral e possessiva patrocinada por um grupo que se auto determinou como o detentor da “filosofia” de jogo a ser perpetuada no país, pobre país se for condenado a tal destino filosófico…

Então, fica a pergunta capital – Terá futuro o grande jogo em nosso país, nas mãos dessa turma? Pensem com seriedade e isenção, e respondam…

Amém.

Fotos – Reproduções da TV. Clique nas mesmas para ampliá-las.

Em tempo – O jogo terminou com Pinheiros 98 x 91 Palmeiras.



5 comentários

  1. Jose 21.12.2013

    É professor, acho que está faltando cultura para os nossos técnicos, que na maioria das vezes são ex-atletas sem estudo, e o pior sem competência. Quando digo estudos, é aquele estudo de base, do ginásio até a faculdade e além, todos bem feitos, coisa que não acontece na base com os nossos jovens de hoje também.
    Retrato do nosso lindo Brasil, uma fase desperdiçada na vida de muitos jogadores na base.

  2. Gil Guadron 22.12.2013

    ” Los entrenadores Deben excelentes sicologos deportivos, son excelentes comunicadores, motivadores y administradores de comportamiento.

    ” — Ofrezca retroalimentacion con gran contenido de informacion y jamas de emociones ”

    Succesful Coaching ( 2004 )

  3. Gil Guadron 22.12.2013

    FELIZ NAVIDAD

    Gran parte del tiempo del entrenador es comunicarse con sus jugadores . si no lo hace correctamente podria resultar en confusion y frustracion de ambas partes

    La manera de comunicarse con los jugadores , buscando satisfacer sus necesidades individuales es tan importante como el enseñar las tecnicas y tacticas .

    La personalidad del entrenador y su educacion o entrenamiento como entrenador juega gran parte en los procesos de comunicacion ‘

    Esta consta de enviar mensajes y recibirlos. Aprenda a escuchar, no interrumpa a un jugador .

    La comunicacion consta de dos partes, una verbal y la otra no verbal. Esta es importantisima, pues gestos de hostilidad, enojo, o de felicidad, de calor humano inciden en la motivacion del jugador.

    No gaste el tiempo en regaños, o gritos desaforados , no le ponga emocion al contenido de la comunicacion.

    Trate a los jugadores, a sus hijos , a su esposa como le gustaria que lo trataran a usted !!!

    Un momento dificil para comunicarse es cuando un jugador comete un error y usted tendra que corregir frente a demas jugadores o espectadores del entreno o partidos . En tal situacion el entrenador debe ser breve , pausado, calmado en dichas situaciones.

    Como sugerencia siga los siguientes pasos :

    A – FELICITE al jugador por el esfuerzo ofrecido,
    B – OFREZCA INFORMACION , de como hacer las cosas,
    C – DESPIDALO DANDOLE ANIMO . ”

    Comuniquese con un enfoque positivo. Este enfatiza el animar , premiar al jugador para fortalecer las respuestas deseadas.

    El cochaje negativo , por el otro lado funciona utilizando el miedo, el temor a equivocarse. Su utilizacion destruye la credibilidad del entrenador.

    Quienes lo utilizan tienen expectativas pocos realistas de sus jugadores , ademas los entrenadores que utilizan dicho enfoque creen honestamente que su utilizacion produce Buenos resultados.

    Una de las negativas consecuencias es que los jugadores evitaran tomar riesgos tacticos para evitar los insultos del entrenador.

    El cochaje positive de ninguna manera significa que sus mensajes seran solamente de animo . Usted debera corregir pero sin jamas elevar su voz, ni mucho menos insultando o disminuyendo la dignidad de sus jugadores.

    —- JAMAS EVALUE AL JUGADOR…. EVALUE SU RENDIMIENTO —-
    Cuando un jugador cometio un error tactico en lugar de decir Gil que hiciste !!!!, pensa !!!, es mejor decir, ” esa fue una decision equivocada,y ofrezaca la informacion de como hacerlo.

    —- Si los jugadores no han aprendido , es porque usted como entrenador no les enseño bien —–, John Wooden.

    Gil

  4. Basquete Brasil 23.12.2013

    Prezado José, sem dúvida alguma estamos numa espiral descendente sem paralelo a algum outro tempo em nossa história basquetebolistica. Muitos são os enganos e equívocos cometidos em nome da “estratégia”,inexistente como parte de um projeto desportivo em nosso país. Ante a inexistência de políticas voltadas para a educação de qualidade e de desportos para os jovens, sobra o que aí está, escancarado à nação. É muito triste tudo isso.
    Um abraço, Paulo Murilo.

  5. Basquete Brasil 23.12.2013

    Queridos Gil e Luiza, desejo a vocês um belíssimo Natal junto a sua família, e um 2014 pródigo em sucesso, saúde, paz e muito amor. Sua mensagem acima espelha todo um corolário de princípios sagrados para todos aqueles que amam o grande jogo, e fico muito feliz em ter o privilégio de publicá-los.
    Um abração Gil, Paulo.

Deixe seu comentário

Comentários Recentes


    Warning: mysql_query(): Access denied for user ''@'localhost' (using password: NO) in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 7

    Warning: mysql_query(): A link to the server could not be established in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 7

    Warning: mysql_fetch_row() expects parameter 1 to be resource, boolean given in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 8