HUM, SEI NÃO, MEUS DEUSES, SEI NÃO…

P1150511P1150516

Terminou a via crucis da seleção, batida pela quarta vez consecutiva no campeonato por uma equipe que irá pela primeira vez a um mundial, enquanto a nossa pela segunda vez ficará por aqui, aguardando uma reestruturação técnico tática a fim de se candidatar ao próximo, com pelo menos um bom planejamento que brinde inicialmente a formação de base, isso só para começar, seguindo-se o preparo de novos professores e técnicos abertos e receptivos a novos conceitos sistêmicos, e o incremento das competições municipais, estaduais e nacionais, quando a médio prazo poderemos soerguê-lo consistentemente…

Até lá, se disposição político administrativa houver de bom grado, que se estabeleça, enfim, o critério do mérito na reorganização dessa absurda bagunça que foi instalada na CBB, movida pelo apadrinhamento técnico, escambo político, e trocas de favores eleitoreiros, pontos sensíveis estes que levaram a entidade morro abaixo do descrédito e da humilhação…

Pessoal administrativo creio já estar sendo mobilizado pelo presidente eleito, porém, a equipe técnica terá de ser seriamente analisada, discutida e indicada para gerir a essência do grande jogo, tão combalido e destruído por uma geração corporativada em torno de um modelo técnico tático formatado e padronizado da forma mais impositiva possível, anulando e impedindo toda e qualquer manifestação técnica que viesse a se opor ao que sempre denominaram de “moderno basquetebol internacional”, que na realidade não passa de uma unilateral e sem vergonha “reserva de mercado”, onde inovações e criatividade foram banidas para garantir sua existência medíocre e ignorante…

E mais um dos resultados dessa intolerável reserva, pode ser atestado a cores e alta definição em quadras portenhas, por uma seleção feminina perfeitamente enquadrada, formatada e padronizada nesse execrável modelo, com todas as suas mais lamentáveis situações técnico táticas e a mais completa ausência dos fundamentos do jogo, exigência máxima na constituição de uma seleção nacional, ausentes da forma mais primária e contundente, sendo inclusive derrotada por uma equipe que contava em sua formação com quatro jogadoras de voleibol, a das Ilhas Virgens, ou seja, uma deslavada vergonha…

Então, minha gente apreciadora do grande jogo, como comentar o jogo que definia a terceira classificada ao mundial dentro de uma realidade falseada e equivocada, provocada por uma direção alinhada com a mesmice endêmica existente desde sempre, como?

Talvez pudéssemos considerar uma particularidade ocorrida somente nesse jogo decisivo, o fato da seleção ter suas anteriores e rígidas rédeas atadas ao sistema de passo marcado imposto, que fracassou redondamente, soltas para retornarem ao sistema peladeiro (onde a velocidade extremada se posta sempre a frente do raciocínio) a que sempre se dedicaram desde a formação de base, num comportamento similar ao das costarriquenhas, cujo basquetebol sempre primou pela “correria e chute”, principalmente no masculino…

Neste cenário desenfreado de desenho animado, aplicado com fervor por ambas as equipes, venceu aquela que em determinados e pontuais momentos da partida, soube impor seus melhores fundamentos, principalmente aqueles mais presentes nas fintas de penetração e DPJ´s bem executados. Venceram uma equipe que aprendeu a dar pouco valor aos fundamentos, e deu no que deu…

Este trágico desfecho, tem de determinar o definitivo fim da maléfica e até criminosa influência da corriola que se apossou do grande jogo por três seguidas décadas, pois em caso contrário, perderemos definitivamente o rumo da história, um dia brilhante para nós, hoje órfão dos muitos e competentes professores e técnicos que elevaram o basquetebol às culminâncias, e cujos remanescentes de alta qualidade são mantidos à margem das competições, discriminados e proibidos de exercerem seu trabalho profissional, direito adquirido com enormes esforços, muito estudo e trabalho meritório, pelo simples fato de não comungarem com a retumbante enganação que aí está, escancarada, definitiva, covarde e estúpida. Pergunta-se então – Prezados dirigentes, vão encarar de frente essa realidade, vão mudá-la de vez, com coragem e decisão, ou sutil e simplesmente sucumbirão?… 

Hum, sei não, meus deuses, sei não…

Amém.

 

Fotos – Reproduções da TV. Clique duplamente nas mesmas para ampliá-las.



Deixe seu comentário

Comentários Recentes


    Warning: mysql_query(): Access denied for user ''@'localhost' (using password: NO) in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 7

    Warning: mysql_query(): A link to the server could not be established in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 7

    Warning: mysql_fetch_row() expects parameter 1 to be resource, boolean given in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 8