“É DE TRÊS”!!!!…

“Agora quero ver falarem mal das bolas de três”, menciona sorrindo o comentarista da TV, esquecendo estar comentando um jogo em que a seleção dominicana abria totalmente a guarda para a chutação de fora (13/31), resguardando com todas as suas forças o perímetro interno, permitindo 32 (22/32)finalizações brasileiras de 2 pontos, quando ela mesma conseguia 50 (24/50 e 5/12 de 3), e mesmo assim, das 18 bolas perdidas por nossos “especialistas de três”, forçamos 10 ante uma débil, porém presente contestação às mesmas…

Repetiu-se o velho e manjado vício pátrio, de “soltar a pera” ao menor indício de liberdade, dando valia ao fajuto princípio de que “estando solto,tem de arremessar”… de três, inclusive em contra ataques, sem contemplações, levando de roldão instruções para escolherem melhores situações de chute, ou mesmo darem um pouco mais de valor a posse de bola, agindo grupal e taticamente, na criação dos tão valiosos espaços, que no caso do jogo de ontem, como em qualquer jogo em que o adversário bloqueie o miolo de sua defesa, se apresentava como uma oportunidade mais preciosa ainda de forçar o jogo interno, capacitando, pelo realismo de um jogo entre seleções, os alas pivôs nas jogadas próximas à cesta, em espaços críticos pelas curtas distâncias, ocupados por seis ou mais jogadores, em luta espacial permanente, oportunizando os rápidos deslocamentos e os passes mais precisos, assim como as finalizações estatisticamente mais eficientes, e mais, oferecendo precisos e rápidos passes de dentro para fora do perímetro, e não em passes de contorno ou regressivos, para aí sim, encontrarem os especialistas nos longos tiros, estáveis, equilibrados, e com tempo suficiente para enquadrarem com firmeza o direcionamento correto da bola, e não destinados a uma turma convencida de que é expert nas bolinhas, cerceando e praticamente anulando toda e qualquer oportunidade de ações internas de sua equipe…

O treinamento em situações reais de jogo, é o anseio de  qualquer técnico experiente e de qualidade (e muito mais em se tratando de seleções), para desenvolver seu sistema interior de jogo, difícil (mas não impossível) de ser emulado em treinos normais, daí a fundamental importância de destinar todo o tempo e empenho da equipe no máximo aproveitamento possível dessas oportunidades, que jamais deveriam ser perdidas pela troca midiática e exibicionistas de jogadores que acham, e se consideram “gatilhos” insuperáveis, o que absolutamente não são, ainda mais se marcados e contestados de muito perto, que é o que ocorrerá quando enfrentarem seleções de maior qualidade técnica…

Na equipe brasileira, nove jogadores arriscaram nos três pontos, e somente os pivõs Varejão e Augusto, e o armador Pecos não o fizeram, sendo este último também adepto das bolinhas, que só não foram tentadas por ter jogado muito pouco tempo. Se deduzirmos que nove jogadores se acham competentes nos longos arremessos em uma partida entre seleções nacionais, fica bem claro que das duas uma, ou foram autorizados pelo técnico a fazê-lo, ou agiram por conta própria, afinal estavam “livres”, o que explica a contrariedade do técnico, que vê na equipe que dirige o mesmo comportamento que tanto criticou nos jogos do NBB, o excesso de bolinhas, marcadas ou não, forçadas ou não, todas reflexos da ausência consentida de defesa externa por parte de todas as equipes, que dessa forma se igualam nos erros e nos acertos, vencendo aquelas que as veem cair com mais frequência, pelas mãos dos poucos especialistas de verdade que temos, que é a regra em outros grandes centros, onde somente uns poucos decidem jogos através o domínio que têm na difícil e elitista arte dos longos arremessos…

Agora a pouco pude assistir a final da LDB entre Pinheiros e Paulistano, jogo final de uma tarde com quatro partidas semifinais e final, com a média de 30 erros de fundamentos por jogo, e na final, 13/48 arremessos de três (4/26 para o Paulistano e 9/22 para o Pinheiros), e 32 erros (12/20 respectivamente), dando razão com sobras ao Petrovic, que, incoerentemente na manhã de hoje orientou um treino de arremessos, de três e uns pouco lances livres (vejam o vídeo)…

Estará aderindo o experiente croata? Vejamos contra o Canadá…

Amém.

Foto – Reprodução ds TV. Clique duplamente na mesma para ampliá-la.

Vídeo – Divulgação CBB.



Deixe seu comentário

Comentários Recentes


    Warning: mysql_query(): Access denied for user ''@'localhost' (using password: NO) in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 7

    Warning: mysql_query(): A link to the server could not be established in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 7

    Warning: mysql_fetch_row() expects parameter 1 to be resource, boolean given in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 8