MEDALHAS, EDUCAÇÃO E…FUNK

E as Olimpíadas vão chegando ao fim, com a fantástica delegação brasileira de mais de 250 atletas e outros tantos dirigentes, convidados e apaniguados, garimpando 1 medalha de ouro, 2 de prata e algumas poucas de bronze, deixando para trás as grandes perspectivas de quebra de recorde em competições anteriores. Mas o recado dado pela direção do desporto brasileiro, de que tal representação dimensiona a capacidade nacional para organizar os Jogos em 2016, emite um alerta voltado à consciência do cidadão comum, de que algo não soa muito bem ante tanta pretensão, disfarçada em poderio sócio-político de um país que ainda se mantém às raias da injustiça social que divide a população entre os cada vez mais ricos, e os cada vez mais pobres, afastados de uma educação de qualidade, que deveria ser a prioridade absoluta governamental, para que num futuro à médio-longo prazo o país, em seu todo, se fizesse representar através padrões de qualidade de vida, entre os quais a participação olímpica, resultante de um trabalho massificado e democrático advindo de seu processo escolar, direito inalienável e constitucional de todo cidadão brasileiro.

E um bom exemplo da incúria administrativa na área escolar, nos é dado em duas pequenas notas publicadas no O Globo de hoje, em sua coluna Gente Boa:

O barato do funk/1

A Secretaria Estadual de Educação firmou parceria com a Furacão 2000 e vai lançar festival de funk para alunos da rede pública. Finalistas mostrarão as músicas – sempre com temas ligados à sexualidade na adolescência – em bailes-matinê.

O barato do funk/2

Tereza Porto, a secretária de Educação que promove o concurso, começa a se ambientar no assunto. Sábado, vai ao baile no Castelo das Pedras: “Quero me informar e estudar a linguagem”.

Como podemos ver e atestar, são estes os paradigmas que influenciarão nossos jovens em seus tempos livres, nos quais educação física, esportes, artes plásticas, teatro, música, artes manuais, cederão seu já escasso, e muitas vezes negado tempo curricular, aos maneios e rebolados grupais que imperam nas demonstrações altamente educativas do funk.

Esse é um dos muitos exemplos de como nossos governantes encaram a escola em seus desgovernos. E ainda se atrevem em propugnar verbas descomunais para fabricar uma candidatura olímpica, cujos beneficiados serão somente aqueles que delapidarão as vultosas verbas em construções megalópicas e superfaturadas, em projetos milionários de publicidade e compra de adesões políticas, em promessas de melhoria nos transportes e na segurança que jamais serão exeqüibilizadas, deixando órfãs gerações de jovens, que serão deixados covardemente para trás em seus direitos de uma vida melhor, digna e justa.

Por que falar de uma medalha olímpica forjada numa universidade americana, ou nos raros exemplos de prata alcançados esporadicamente e fora da realidade esportiva do país, assim como os parcos bronzes conquistados por uma minoria que mantém com seu esforço uma casta diretiva que, passados os meses subseqüentes os abandonarão até às vésperas da próxima Olimpíada?

E como explicar o sumiço das transmissões esportivas daquele momento maravilhoso da abertura olímpica, onde no meio daquele majestoso cenário se abriu uma singela sala de aula, com uma professora e seus jovens alunos mostrando ao mundo qual o verdadeiro sentido de toda aquela demonstração de pujança, esportiva e tecnológica, senão ali, numa sala de aula, na escola, na educação de um povo. Claro que não interessa mostrar tais insignificâncias ao povo ignaro, pois em caso contrário como poderiam abiscoitar o velocino de ouro tão desejado?

Agora mesmo, quando o recente e aprovado piso salarial de todos os professores no país é contestado veementemente por governos municipais e estaduais, que jamais se levantam contra a gastança desenfreada de seus representantes do povo, podemos avaliar o quanto essa corja teme a possibilidade de ver o povo que os elegem, educado e culto, e por isso mesmo capaz de discernir quais os caminhos a serem tomados e a seguir. Esporte é uma manifestação popular que representa o estágio vivenciado por um povo. E nada mais justo que essa experiência de vida seja iniciada, desenvolvida e vivenciada no âmbito escolar, centro difusor das qualidades deste mesmo povo. Medalhas serão conseqüência dessa realidade, que jamais serão alcançadas pelas voluptosas oscilações de nossas infelizes crianças em festivais escolares de funk.

Que os deuses protejam a juventude do país.

Amém.



4 comentários

  1. Carlos A. Castilho 22.08.2008

    Prezado professor Paulo Murilo, mais uma vez escreve com maestria e discernimento, quiçá em futuro próximo possamos realmente oferecer aos nossos jovens uma verdadeira educação, onde o esporte seja uma ferramenta importantíssima para atingir tais objetivos, permitindo assim, que nossa juventude tenha oportunidades reais, que só uma educação de qualidade torna possível.

    Um abraço

    Castilho

  2. Basquete Brasil 23.08.2008

    Tomara que sim caro Carlos,torço ardentemente para que isso venha a ocorrer.Aliás, é nossa ultima e única esperança de desenvolvimento justo e sustentável.Nossos jovens merecem um futuro melhor. Um abraço, Paulo Murilo.

  3. Jay Raw 17.09.2008

    Excelente matéria!

    Acho realmente triste que a secretaria de educação aja dessa maneira que além de ignorante, beira o fascismo pois todo um segmento voltado ao Funk e apenas a ele, tira créditos de alunos que queiram estudar outros estilos musicais, gera discordia entre eles e perseguição por parte dos adeptos.
    Isso sem falar na total falha educacional e moral que o funk traz implicito em sua formação.

    Ainda vamos ver o dia em que uma aula de música nao será apenas uma flauta doce mas a volta as velhas e sabias partitúras e harmonias. E onde aulas de danças serão não somente ciências do corpo mas estudos da arte.

    Continue o bom trabalho por aí!

    beijos !

    J

  4. Basquete Brasil 18.09.2008

    Que bom ter um filho musico e ex-basqueteiro leitor do blog aqui do velho.Apreciei suas colocações equilibradas e sensatas.Continue em sua saga de artista, e um beijo também.Papai.
    PS-Arte do Jay-Clique em Jay Raw acima

Deixe seu comentário

Comentários Recentes


    Warning: mysql_query(): Access denied for user ''@'localhost' (using password: NO) in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 7

    Warning: mysql_query(): A link to the server could not be established in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 7

    Warning: mysql_fetch_row() expects parameter 1 to be resource, boolean given in /home/paulo/public_html/blog/wp-content/themes/paulomurilo/functions.php on line 8